Lula afirma estar convencido da vitória de Dilma

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou em entrevista ao programa Canal Livre da TV Bandeirantes que está convencido na vitória da pré-candidata à Presidência pelo PT, Dilma Rousseff, e chegou a comparar a postulante ao líder sul-africano Nelson Mandela. Segundo Lula, que declarou que fará campanha para a petista, Dilma foi presa e torturada durante na ditadura militar (1964-1985) e não sente ressentimento enquanto Mandela presidiu seu país após 27 anos preso em sua luta antiapartheid.

Reuters |

"Dilma não é minha candidata. É candidata do PT. Enquanto eu estiver trabalhando, das 8h às 22h, não terei candidato. Depois do expediente, vou para o palanque", afirmou no domingo à noite.

Quanto a seu futuro político após deixar a Presidência no final deste ano, Lula disse que vai "continuar sendo um militante político". Ele negou, no entanto, que queira ocupar um cargo na Organização das Nações Unidas.

"O cargo da ONU deve ser ocupado por um burocrata. Deve ser uma pessoa neutra. Não tenho este perfil", declarou.

Ele comentou ainda sobre o respeito adquirido pelo Brasil no exterior, mas negou que essa conquista seja mérito exclusivo de seu governo.

Segundo ele, havia uma predisposição internacional e uma nova postura do próprio Brasil. "O Brasil continuará sendo respeitado lá fora, independente do próximo presidente que vier."

Lula voltou a defender a liberdade do Irã em enriquecer urânio para fins pacíficos e disse que as grandes potências deveriam ter mais respeito para com o país. "É um erro colocar o Irã contra a parede. O Irã não é o Iraque. Não podemos isolar politicamente o Irã. Isso é um grande erro."

(Reportagem de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG