Lucro da Caixa cai 15% no 4o tri, para R$618 milhões

Por Isabel Versiani BRASÍLIA (Reuters) - A Caixa Econômica Federal encerrou o quarto trimestre de 2008 com um lucro líquido de 618 milhões de reais, queda de 15,4 por cento ante o mesmo período do ano anterior, após uma elevação das provisões para fazer frente a um possível aumento da inadimplência.

Reuters |

"A queda do resultado é porque fomos prudentes em relação ao ano de 2009", afirmou a jornalistas a presidente da CEF, Maria Fernanda Coelho, ao divulgar o balanço nesta quinta-feira. "Mas, sem dúvida, a expansão da nossa carteira demonstra a pujança do movimento da Caixa."

No quarto trimestre, a Caixa elevou sua provisão em 635 milhões de reais. Descontadas essa e outras operações extraordinárias, como a contabilização de 840 milhões de reais em créditos tributários, o lucro do banco no período cairia a cerca de 200 milhões de reais no trimestre, segundo a instituição.

No quarto trimestre de 2007, a Caixa teve um lucro líquido de 731 milhões de reais.

No ano de 2008, a instituição acumulou lucro de 3,9 bilhões de reais, com crescimento de 62,3 por cento frente ao lucro de 2,4 bilhões de reais apurado em 2007.

O crescimento do crédito no período foi de 43 por cento, para 80,1 bilhões de reais. Essa expansão, segundo o banco, foi patrocinada principalmente por uma elevação orgânica dos empréstimos. Mas os números do último trimestre também sofreram o impacto da compra de carteiras.

A Caixa adquiriu cerca de 1 bilhão de reais em carteiras de instituições menores que estavam enfrentando dificuldades em meio à crise financeira global. Também fechou acordos operacionais que abrem a possibilidade da compra de mais 8 bilhões de reais em carteiras até 2010.

Para 2009, a meta é uma expansão de 30 por cento da carteira de crédito.

Segundo Maria Fernanda, a expectativa é que a CEF possa superar, neste ano, o crescimento de 39 por cento no financiamento habitacional registrado em 2008.

Em janeiro, a concessão de crédito habitacional somou 1,910 bilhão de reais, alta de 154 por cento frente aos 750 milhões concedidos no mesmo período de 2007. Os números tendem a ser reforçados, ainda, pelo programa de habitação popular que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciará nos próximos dias.

"Nós estamos apostando no crescimento significativo do setor da construção civil", disse a presidente da instituição.

(Edição de Alberto Alerigi Jr.)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG