Lucro anual da Cargill cai 16%, para US$ 3,33 bilhões

A norte-americana Cargill, maior companhia de agribusiness do mundo em receita, informou lucro líquido de US$ 3,33 bilhões no ano fiscal 2009, encerrado em 31 de março. O valor representa queda de 16% ante os US$ 3,95 bilhões obtidos no mesmo período anterior.

Agência Estado |

Apesar da queda, esse foi o segundo maior resultado da história da companhia, fundada em 1865, de acordo com seu presidente e executivo-chefe, Greg Page.

"O ano foi como uma história de dois capítulos", disse. "A Cargill apurou resultados recordes até novembro. Mas no segundo semestre fiscal os ganhos diminuíram consideravelmente por conta da primeira contração da economia mundial em seis décadas. No final, contudo, o resultado líquido foi o segundo melhor da história da empresa", afirmou.

Fatores

Page creditou a rentabilidade da Cargill a quatro fatores. "A companhia entrou na recessão com um balanço forte. Agimos rápido para reduzir custos e diminuir o uso de dívida e capital de giro. Nossas equipes anteciparam corretamente a volatilidade de preços, tanto na alta quanto na baixa. Por fim, mantivemos nosso foco em sermos um fornecedor confiável para nossos clientes, ajudando-os a superar desafios nesses tempos difíceis", enumerou.

A receita do ano fiscal 2009 recuou 3%, para US$ 116,6 bilhões, de US$ 120,44 bilhões no ano fiscal anterior. O fluxo de caixa gerado por suas operações diminuiu 6%, para US$ 6,7 bilhões.

No quarto trimestre fiscal, a Cargill informou queda de 69% no lucro líquido, para US$ 327 milhões, de US$ 1,05 bilhão no mesmo período do ano anterior.

A companhia não forneceu os números da receita do período. O fraco resultado do quarto trimestre fiscal foi provocado por perdas em duas divisões de fertilizantes e processamento de grãos, decorrentes de queda de preços, e também em sua unidade de gerenciamento de riscos e serviços financeiros.

Queda nos preços

Os resultados de suas rivais, as norte-americanas, Archer Daniels Midland e Bunge, também foram prejudicados pela queda dos preços das matérias-primas (commodities) e dos fertilizantes, embora a ADM tenha dito no início deste mês que vê sinais de melhora em vários dos mercados nos quais atua, como o de alimentos, ração animal e combustíveis renováveis.

No Brasil desde 1965, a Cargill é uma das maiores indústrias de alimentos do País. A operação brasileira possui unidades industriais e escritórios em cerca de 180 municípios e inclui atividades no segmento de soja, açúcar, etanol, cacau, algodão e amidos. A companhia controla a Seara.

Leia mais sobre a Cargill

    Leia tudo sobre: empresas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG