Três guerreiros Jedis perdem o controle de sua nave espacial e, por um acaso do destino, fazem um pouso forçado no Grajaú, subúrbio do Rio de Janeiro. Quando aterrissam, percebem que entraram em uma espécie de túnel do tempo que os trazem do futurístico mundo de George Lucas para o abafado clima da periferia carioca.

É aí que a coisa pega. Eles terão de enfrentar a dura realidade brasileira. Além de ninguém acreditar na história que eles contam pelas ruas, não conseguem ajuda para sobreviver e acabam virando mendigos.

Certamente, nem George Lucas poderia imaginar um roteiro tão surreal para os personagens da sua milionária franquia. O responsável por toda essa loucura é Luiz Felipe de Oliveira Mano, o Pepa, 26 anos. Cineasta por formação, ele criou, aos 14 anos, a Pepa Filmes. “Na época, éramos apenas um grupo de amigos que preferia brincar com a câmera filmadora a jogar bola”, diz. Hoje, está produzindo seu terceiro longa-metragem, o Grajaú Jedi . Para quem acha que ser mendigo nas ruas do Rio Janeiro é o que de pior poderia acontecer aos Jedis, não pode imaginar o rumo que a história toma quando Darth Vader e seus soldados clones invadem a cidade à procura dos soldados.

“Esta é a nossa melhor produção. Estamos usando câmeras de alta definição e equipamentos profissionais. Para replicar os clones invadindo o Rio, usaremos efeitos especiais.” Dentre esses efeitos, estão explosões, sabres de luz, trilha sonoras e até o bullet time (efeito de câmera lenta do filme Matrix). Para Grajaú Jedi , um engenheiro de automóveis foi chamado para fazer os desenhos das naves. As fantasias de Darth Vader e sua turma estão sendo confeccionadas em resina e fibra de carbono. “Começamos a filmar no final do ano.” O orçamento de R$ 5 mil parece piada se comparado com os milionários longas de Hollywood. “Todo mundo trabalha de graça. É pelo amor à arte mesmo”, completa. A nova produção só deverá ficar pronta em 2010.

A Pepa Filmes já produziu 82 curtas e dois longas. O último foi o Bissicreteiro Fantasma , uma paródia do filme Motoqueiro Fantasma . “É a história de um entregador de jornais que faz um pacto com o demônio. Como ele é pobre e mora no Grajaú, só anda de bicicleta”, ri Pepa. O outro longa produzido foi Coronel Cabelinho contra Grajaú Soldier , que conta a história de um policial linha dura que no período da ditadura tem de enfrentar um bandidão do Grajaú. “Gravamos todos os nossos vídeos no nosso bairro mesmo”, diz. Em Grajaú Soldier participaram mais de 30 pessoas e a produção teve 1h20 de duração. A turma mantém um site na internet (www.pepafilmes.com.br), no qual é possível baixar os filmes gratuitamente ou comprá-los em DVD. “Com a venda, conseguimos manter o site”, diz Pepa. As informações são do Jornal da Tarde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.