Localizado primeiro corpo desaparecido em naufrágio de barco no Rio Amazonas

MANAUS - Mergulhadores do Corpo de Bombeiros do Amazonas e da Marinha localizaram nesta terça-feira, por volta das 15h (horário de Brasília), o corpo de Arlete de Souza Santos, de 59 anos. Ela estava desaparecida desde domingo, dia 5, quando o barco Dona Zilda, que a transportava junto com mais 46 pessoas, naufragou antes de chegar ao destino, a cidade de Itacoatiara. O corpo de Arlete foi o primeiro encontrado. Há mais cinco desaparecidos: três mulheres e dois bebês.

Redação com Agência Brasil |

O corpo de Arlete estava perto do barco naufragado. De acordo com os bombeiros, possivelmente ela não conseguiu sair da embarcação na hora do desastre. Também nesta terça, as equipes responsáveis pelas buscas e retirada do barco naufragado dedicaram-se novamente ao trabalho no local, mas o barco ainda não foi removido e outras vítimas não foram encontradas.

Os trabalhos serão retomados na quarta-feira. Segundo a Marinha, a retirada do barco do local do acidente é uma tarefa delicada, que envolve o trabalho de muitas pessoas e o uso de guindaste e de embarcações menores, com objetivo de preservar ao máximo todo material localizado. O barco naufragado pesa 17,9 toneladas e tem 16,7 metros de comprimento. Tudo que for encontrado será usado nas investigações sobre as causas do acidente.

O naufrágio do barco Dona Zilda ocorreu nas primeiras horas da manhã de domingo. Segundo os sobreviventes, a embarcação virou depois de bater em um barranco. Contudo, a Marinha suspeita que a superlotação possa ter contribuído para o desastre.

O acidente ocorreu nas proximidades da Ilha do Risco, costa do Catana, margem direita do Rio Amazonas. O barco tinha capacidade para transportar 38 pessoas, mas levava 47. Antes do naufrágio, os passageiros pretendiam desembarcar em Itacoatiara.

Leia mais sobre: naufrágio

    Leia tudo sobre: naufragionaufrágio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG