morreram 10 supostos bandidos e dois PMs. " / calmo , diz polícia - Brasil - iG" / morreram 10 supostos bandidos e dois PMs. " /

Local de guerra entre traficantes e policiais amanhece calmo , diz polícia

A polícia do Rio de Janeiro mantém policiamento ostensivo em Vila Izabel, zona norte do Rio de Janeiro, onde ocorreu uma intensa troca de tiros entre traficantes e policiais neste sábado. No confronto, http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/10/17/confronto+deixa+mortos+e+feridos+na+zona+norte+do+rio+de+janeiro+8859915.htmlmorreram 10 supostos bandidos e dois PMs.

Redação |

  • Veja as imagens dos confrontos no Rio de Janeiro
  • Tem informações sobre o confronto no Rio? Mande para o Minha Notícia!
  • Minha Notícia: leitor relata pânico na zona norte do Rio
  • De acordo com a polícia, o clima no local é "calmo", mas os policiais vão permanecer no local até que a segurança seja completamente garantida.

    O confronto ocorreu no Morro dos Macacos após traficantes rivais invadirem a favela em busca do controle do tráfico de drogas na região.

    Futura Press Helicóptero cai em campo de futebol após ser atingido por tiros

    O secretário de segurança pública da cidade, José Mariano Beltrame, disse que sabia da possível guerra pelo controle dos pontos, mas que não pôde impedir a batalha porque não tinha homens suficientes para patrulhar todas as entradas da comunidade.

    Reação da polícia

    Depois da forte troca de tiros , o comandante geral da Polícia Militar do Estado, coronel Mário Sérgio Duarte, disse que a polícia vai iniciar a busca pelos traficantes envolvidos no ataque. Segundo o coronel, quatro comandos de policiais estão montados na região para evitar o deslocamento dos traficantes.

    "Não vamos descansar enquanto isso não acontecer. A população espera uma resposta da PM", disse o coronel. "Não vamos nos desviar. O trabalho forte de inteligência e os homens da Polícia Civil vão ajudar", acrescentou o secretário da Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrane. "Nós sabemos quem foi, como foi, e haverá uma resposta na mesma medida, defendeu o chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Alan Turnowisk, que também participa da entrevista coletiva.

    Turnowisk acrescentou que a ação dos traficantes foi "ousada" e "que nenhuma ação no Rio de Janeiro ficou sem resposta". Segundo ele, a polícia não vai ficar sem dar uma resposta "no momento certo".

    Clique na imagem abaixo para ampliar o mapa:
    Fonte: Google Maps

    O comandante da PM informou que o controle da região está sendo realizado pela Polícia Militar, que trabalha com um efetivo de 3 mil a 4 mil homens a mais. "Vamos nos manter no terreno para manter o controle do local. Folgas foram canceladas e todos os policiais estão sendo utilizados", disse o coronel Duarte. A Polícia Civil também participa da operação com 500 policiais.

    Helicóptero abatido

    O comandante da PM disse ainda não saber qual foi a arma utilizada para atingir a aeronave. "Sabemos que os traficantes possuem armamento de longo alcance, mas é prematuro afirmar qual tipo foi utilizado para atingir o helicóptero", disse o comandante.

    O aparelho, que tinha apenas o fundo blindado, dava apoio a uma operação com 120 homens da PM para acabar com o confronto entre traficantes na disputa por pontos de vendas de drogas na favela. Atingido por disparos dos bandidos, o helicóptero Fênix pegou fogo logo após pousar num campo de futebol.

    Dois dos seis tripulantes morreram carbonizados e os outros policiais foram resgatados com queimaduras. Outros dois policiais e dois moradores foram feridos em terra. Três policiais que sobreviveram à queda, pularam do aparelho antes de ele tocar o chão. Segundo o major Oderlei Alves, relações públicas da PM, dois deles, além de queimaduras, foram baleados no ar. O quarto ferido é o único internado em "estado gravíssimo", com queimaduras severas em todo o corpo e vias respiratórias.

    Assista à reportagem sobre a queda do helicóptero (o número de mortos foi atualizado após a publicação do vídeo):


    Olimpíada 2016

    A imprensa internacional destacou o confronto neste sábado. Os sites dos jornais "The New York Times" e "The Guardian" ressaltaram que o Rio foi escolhido sede da Olimpíada de 2016 . O jornal norte-americano destacou que traficantes abateram um helicóptero da Polícia Militar do Rio, matando dois policiais, apenas duas semanas após vencer a eleição. "A queda ocorreu cerca de oito quilômetros ao sudoeste de uma das zonas onde acontecerão os Jogos Olímpicos Rio 2016", traz a reportagem.

    A violência nos morros cariocas foi destaque até mesmo na rede de notícias "Aljazerra", conhecida internacionalmente por veicular informações de guerras

    O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), lamentou hoje a morte de policiais e renovou seu apoio ao secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame. Cabral disse que manterá a "linha de enfrentamento" ao crime para que a cidade chegue aos Jogos Olímpicos de 2016 em paz . "Dissemos ao comitê olímpico que não é uma tarefa simples, eles sabem disso", lembrou o governador.

    Leia mais sobre Rio de Janeiro

      Leia tudo sobre: rio de janeirotiroteiotráficotráfico de drogas

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG