BRASÍLIA - O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, defendeu nesta quarta-feira agilidade na concessão da licença ambiental para instalação da hidrelétrica de Jirau, no rio Madeira (RO). Segundo Lobão, a usina terá capacidade instalada de 3.300 MW e poderá comprometer planos de suprimento energético se não for concluída até 2012 ou 2013.

Acordo Ortográfico

O consórcio Energia Sustentável do Brasil (Enersus), responsável pelas obras de Jirau, só iniciará as obras no início de 2008 se conseguir a licença de instalação das ensecadeiras (diques para contenção da água) e canteiro de obras até outubro deste ano, final do período seco, também conhecido como janela hidrológica.

"Perder a janela hidrológica, sem dúvida nenhuma, significa perder um ano de funcionamento da hidrelétrica. Mas eu estou convencido de que o Ministério do Meio Ambiente encontrará uma solução de rapidez para este caso", disse Lobão, ao chegar para uma audiência pública da Comissão da Amazônia da Câmara dos Deputados.

Eu não desejo que ele viole as leis que regem o meio ambiente. Desejo dele apenas celeridade e boa vontade na solução dos problemas", completou.

Minc afirmou ontem, após participar de um seminário internacional no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que a licença ambiental para a construção da usina hidrelétrica de Jirau deve sair ainda este ano.

Leia mais sobre: usinas hidrelétricas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.