Nos bastidores, antes de vestir pela primeira vez a roupa de um jurado de programa de calouros, Lobão conversa incessantemente com Miranda. Quer saber quem são os artistas que estarão se apresentando na final mensal de Astros , programa do SBT que já foi Ídolos e também Novos Ídolos .

O show dos dez finalistas do mês de julho vai ao ar hoje, às 20h. Apesar da fama de polêmico, o velho Lobo nunca julgou ninguém em rede nacional. Nem foi julgado. “Comecei logo de cara tentando fazer uma audição para ser o novo baterista do Secos & Molhados, quando eu tinha 14 anos. Mas minha mãe não deixou”, sorri Lobão.

Antes de ser chamado para se posicionar na bancada, ele ouve os nomes de Arnaldo Saccomani, Thomas Roth e Miranda serem gritados pelo diretor de palco. Aplausos e vaias no auditório da Via Anhangüera. Agora, não tem mais volta. Lobão será “obrigado” a assistir a duas apresentações de cada um dos dez finalistas - o canal grava duas vezes cada performance caso algum problema técnico aconteça. Como jurado, Lobão diz que se sente mais confortável. “Me sentiria humilhado se fosse um candidato e aparecesse recebendo esporro na frente das câmeras”, afirma.

Na seleção de hoje, há de gospel a pagode, passando por rock e sertanejo. Uma salada montada. Nada que desanime o jurado por um dia. “Dentro de cada estilo, acho que posso achar bons artistas. Pode ser uma m..., mas é o melhor da m...”, diz ele, chamando de “maldição” o formato de programas como o Fama , da Globo, em que os calouros ficam expostos a audiência durante 24 horas. “Não tem como dar certo. O artista está sendo fabricado na sua frente, não há mística.” Após a gravação, o cantor falou de sua experiência. “Superou minhas expectativas. Não achei que iria encontrar tanta gente boa. Foi uma parada genuína.” As informações são do Jornal da Tarde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.