Livro revela que ator britânico foi espião na Segunda Guerra

MADRI ¿ O ator britânico Leslie Howard, conhecido por seus papéis em filmes como ...E o vento levou e Pigmaleão, também teve um papel na história européia por suas contribuições como agente do Governo do Reino Unido durante a Segunda Guerra Mundial, segundo informa um livro sobre o artista.

EFE |

O "agente" Leslie Howard / Divulgação

A informação é revelada no livro "O vôo de Ibis", do espanhol José Rey-Ximena, que mistura a biografia do autor, que também trabalhou em filmes como "Intermezzo", com a pesquisa feita pelo autor ao longo de mais de duas décadas.

Nascido no Reino Unido, Howard passou a infância em Viena, falava alemão e tinha consciência do perigo representado pela ascensão de Adolf Hitler ao poder na Alemanha.

Por esse motivo, participou ativamente da resistência britânica, fazendo filmes e incentivando os cidadãos a enfrentarem a invasão alemã em uma guerra que, em vários momentos, parecia perdida para os seu país.

O ator morreu em 1º de junho de 1943 quando o avião que o levava da Espanha para o Reino Unido, o Ibis, foi derrubado por caças nazistas.

Howard retornava a seu país após uma viagem de mais de um mês pela Espanha e Portugal, supostamente para dar palestras sobre Hamlet, uma circunstância "impossível", segundo Rey-Ximena, devido "à importância de Leslie e ao momento tão crucial para a guerra" vivido na época.

Várias cartas entre Howard e Anthony Eden, então secretário de Defesa do Reino Unido, revelam que o ator foi enviado à Espanha por "vontade do Governo para cumprir com os esforços de guerra britânicos".

Mas qual poderia ser a missão confiada a Howard, de tamanha importância que o deixou sob a mira do próprio Hitler? A resposta possivelmente não teria sido conhecida se não fosse pela atriz Conchita Montenegro, considerada a Greta Garbo espanhola dos anos 30.

Montenegro teve um caso amoroso com Howard - considerado um dos maiores mulherengos da história de Hollywood - quando trabalharam juntos em um filme, e isto serviu como pretexto para uma reunião entre o ator e o ditador Francisco Franco, supostamente para falar de um projeto cinematográfico sobre Cristóvão Colombo.

O que se discutiu na verdade foi um pacto pelo qual a Espanha se manteria neutra na guerra em troca do reconhecimento do regime franquista por parte dos aliados ao fim do conflito, segundo os depoimentos da atriz, que morreu em abril do ano passado.

Assim, Howard, descrito por Rey-Ximena como "um ator intelectual, típico gentleman inglês", deixou Hollywood no auge de sua carreira para dar a vida por seu país.

    Leia tudo sobre: cinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG