Lista de pedido fez Jarbas sair da CCJ, justifica Renan

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) vai mesmo ficar fora da Comissão de Constituição e Justiça do Senado. O líder do partido, Renan Calheiros (AL) explicou à bancada do partido que na indicação dos membros do PMDB nas comissões adotou o critério da lista de pedidos.

Agência Estado |

Os senadores que se apressaram e reivindicaram uma vaga é que foram contemplados. Na conversa de bastidor, no entanto, o líder tem se queixado dos ataques de Jarbas ao partido. Disse que o PMDB está acostumado a lidar com divergências internas, e que convive bem com as diversas alas, desde a sua criação. O PMDB não aceitará, no entanto, "ser usado por interesses de outros partidos", nem ser atacado por "pessoas que não têm comportamento partidário."

Renan vai reunir a bancada às 11 horas para um encontro semanal em que a bancada discutirá questões nacionais. Mas a intenção é demonstrar que tem o apoio dos liderados nas decisões que está tomando, inclusive em relação a Jarbas. Os temas nacionais desta semana serão a defesa na retomada do primeiro Refis, que o partido entende ser a melhor forma de renegociação das dívidas, limitando o porcentual a ser negociado ao faturamento da empresa; a renegociação das dívidas das prefeituras com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e a retomada da proposta de emenda constitucional (PEC) dos Precatórios, que está parada na Comissão de Constituição e Justiça desde 2005.

A proposta de emenda constitucional, de autoria do próprio Renan, foi inspirada em uma minuta que o senador recebeu do então presidente do Supremo e agora ministro da Defesa, Nelson Jobim, para resolver de vez o problema dos precatórios nas prefeituras e governos estaduais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG