Linha 4 do Metrô-SP danificou 747 imóveis, diz Consórcio

As obras da Linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo causaram 783 danos em imóveis paulistanos, desde abril de 2006. São de casos simples, como trincas e vazamentos, até ocorrências mais graves, que causaram a remoção dos moradores.

Agência Estado |

Houve 747 imóveis danificados - e 36 passaram por reparos mais de uma vez. "Sempre que são feitos túneis, alguns imóveis acabam sendo afetados. Antes mesmo da licitação, o Metrô define as áreas de influência e fazemos a vistoria cautelar dos imóveis a 50 metros do eixo do túnel", explica o diretor de Contratos do Consórcio Via Amarela, Márcio Pellegrini Ribeiro. Na próxima semana, a escavação chegará à Avenida Ipiranga, na altura do Edifício Copan.

Quando a segurança do morador é comprometida, ele é transferido para um hotel ou aluga outro imóvel. Quando não há riscos, se faz um restauro, geralmente provisório. A reforma definitiva só ocorre após a conclusão do túnel. Ainda se pode optar por uma indenização em dinheiro, como se fez com os desabrigados no desabamento da futura Estação Pinheiros, em janeiro de 2007, que matou 7 pessoas e desabrigou 230, de 94 imóveis interditados. No início deste ano, as empresas terminaram de pagar as indenizações.

Segundo o consórcio responsável pelas obras, o Butantã é a região mais crítica. "Reparamos até quatro vezes mais imóveis porque a área de influência é superior aos 50 metros", diz Ribeiro. A causa é o solo heterogêneo, composto por rocha, areia, argila orgânica e água. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG