Por Rodrigo Viga Gaier e Denise Luna RIO DE JANEIRO (Reuters) - Autoridades da ANP divulgaram novas opiniões sobre o provável tamanho das reservas de petróleo e gás na camada pré-sal brasileira nesta sexta-feira, com o diretor-geral da agência, Haroldo Lima, afirmando que o volume total nas áreas já licitadas pode chegar a 80 bilhões de barris de óleo equivalente (boe).

"Inicialmente, com a descoberta de Tupi, havia uma previsão de 5 a 8 bilhões de barris (recuperáveis). Posteriormente, com a descoberta de outros campos, isso evoluiu para um mínimo de 12 e um máximo de 70 bilhões de boe", afirmou Lima a jornalistas no Rio, após cerimônia de posse de novos diretores da agência.

"Recentemente, os prognósticos apontam para um mínimo de 50 bilhões e um máximo, pelos cálculos feitos de forma mais repetida, de 70, 80 bilhões de barris", acrescentou Lima.

O diretor-geral da ANP já foi o centro de uma polêmica em abril deste ano, quando afirmou que apenas a área conhecida como Carioca, no pré-sal da bacia de Campos, poderia conter 33 bilhões de barris de petróleo e gás. Suas declarações geraram críticas, como as da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Nesta sexta-feira, questionado se o volume total do pré-sal, considerando as áreas ainda não licitadas, poderia ultrapassar 100 bilhões de barris, ele afirmou: "Pode sim. As dimensões são tão grandes que ainda não temos muita visão do significado disso para o Brasil, até mesmo para a base industrial, para o setor de serviços, mão-de-obra".

Um pouco antes, no mesmo evento, uma das diretoras que tomou posse na agência, Magda Chambriard, também comentou sobre as dimensões das reservas do pré-sal, mas foi mais específica.

Segundo ela, as reservas de petróleo e gás na área onde está localizado o megacampo de Tupi --região que está sendo chamada de "Cluster de Tupi", que inclui ainda campos como Guará, Iara e Carioca-- podem chegar a pelo menos 50 bilhões de barris.

A diretora, que anteriormente era superintendente de Definição de Blocos na ANP, informou também que os investimentos totais para desenvolver o campo de Tupi devem atingir 70 bilhões de dólares.

A Petrobras é a principal operadora nos blocos localizados no pré-sal da bacia de Santos.

A empresa avalia mudanças em seu plano de investimentos, a ser anunciado no final do ano, em meio à crise financeira que reduziu a disponibilidade de crédito e derrubou o preço do petróleo para perto dos 60 dólares.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.