Light revisa plano de emergência para evitar apagões

Em razão dos recentes problemas na malha de distribuição, a Light decidiu revisar o seu plano de emergência para o verão. O vice-presidente executivo e de Relações com Investidores da empresa, Ronnie Vaz Moreira, disse que a Light deve acelerar os investimentos para evitar que o forte aumento do consumo de energia provoque novos problemas na rede.

Agência Estado |

"Como o aumento da temperatura veio antes do previsto e com maior intensidade, estamos revisando o plano", disse o executivo, que participou de evento promovido pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais em São Paulo (Apimec-SP).

Também hoje, o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Nelson Hubner, afirmou que a agência já estava cobrando da Light a apresentação de um "Plano Verão" com as principais medidas que deverão ser tomadas num curto prazo para o agravamento dos problemas de abastecimento na área de concessão da distribuidora.

Esta semana, a zona sul do Rio de Janeiro, área nobre da cidade, foi afetada por problemas na rede que provocaram corte no fornecimento de energia. O executivo admitiu a inconveniência dos apagões, mas ponderou que os apagões atingiram um pequeno grupo do universo de clientes da Light. "O apagão nos deixa muito insatisfeitos. Por mais que tenha atingido o coração da zona sul, o universo de clientes atingidos foi de 12 mil dentre 4 milhões de unidades consumidoras", disse. Os problemas foram provocados por falha técnica em três cabos da rede subterrânea.

Segundo o executivo, um dos fatores que explicam os recentes problemas na rede é o fato de o consumo de energia estar muito forte neste quarto trimestre de 2009, superando a expectativa da concessionária. Isso está relacionado ao registro de temperaturas acima do previsto para a época. "O consumo de energia em nossa área de concessão é muito sensível à sensação de calor", afirmou. Vaz Moreira explicou que, entre setembro e novembro deste ano, as temperaturas médias foram 3ºC acima do previsto.

"Por conta disso, verificamos que a carga de energia em novembro de 2009 está 22% acima do volume apurado no ano passado no mesmo período. Isso tem um impacto muito forte", disse o executivo. Vaz Moreira comentou que a diretoria da Light esteve reunida esta semana com a diretoria da Aneel. "A reunião foi produtiva, e a Aneel reconheceu os nossos esforços para melhorar a qualidade do serviço", afirmou o executivo, em referência ao fato de que a Light tem os melhores índices de frequência (FEC) e duração (DEC) equivalente de interrupção do fornecimento entre as grandes concessionárias do País, conforme divulgado pela Aneel com base nos dados até setembro deste ano.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG