Líderes do Senado fazem acordo para votar salário mínimo e repasse de merenda escolar

BRASÍLIA - Os líderes partidários do Senado fecharam um acordo nesta quarta-feira para votar quatro Medidas Provisórias que têm preferência na pauta de votações do plenário e perdem a validade na próxima segunda-feira. Até ontem, DEM e PSDB ¿ partidos de oposição ¿ anunciavam obstrução nas votações em protesto à decisão do governo, que vai ficar com a presidência e a relatoria da CPI da Petrobras.

Carol Pires, repórter em Brasília |

As primeiras matérias a serem votadas definem o salário mínimo em R$ 465,00 e regulamentam o repasse para pagamento de merenda escolar em todo o território nacional. Em seguida, os senadores devem analisar a MP 453, que repassa R$ 100 bilhões da União para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) emprestar às empresas afetadas pela crise internacional.

O único projeto ainda sem consenso é o que capitaliza o Fundo Soberano do Brasil (FSB) em R$ 14 bilhões e define regras para concessão de licença ambiental para o Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit).

Caso este projeto seja aprovado, precisará retornar à Câmara dos Deputados para uma segunda rodada de votação, uma vez que foi alterada pelo relator Eliseu Rezende (DEM-MG).

As demais MPs não sofreram alterações e podem seguir para sanção do presidente Lula caso sejam aprovadas.


Leia mais sobre: Senado

    Leia tudo sobre: senadosenadores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG