Líderes de policiais discutirão futuro da greve em SP

SÃO PAULO - A proposta feita nesta terça-feira pela base governista da Assembléia Legislativa de São Paulo aos policiais civis melhorou um pouco o plano de reajuste para a categoria, avaliou o diretor da Associação dos Delegados do Estado de São Paulo (Adpesp) André Dahmer. Ele informou que as entidades representativas da categoria irão se reunir até quinta-feira para discutir o próximo passo.

Agência Estado |

Segundo o líder do governo na Assembléia Legislativa, Barros Munhoz (PSDB), a idéia é que, se os policiais decidirem encerrar a greve, que dura 58 dias, o governo de São Paulo enviará um projeto para a Casa antecipando o segundo aumento de 6,5% de novembro de 2009 para agosto do mesmo ano. A nova proposta é, entretanto, condicionada ao fim da paralisação.

"Nós vamos debater se vamos continuar o movimento com greve, se vamos continuar o movimento sem greve ou se vamos acabar com o movimento", disse Dahmer. Os sindicatos dos investigadores e dos delegados devem reunir-se separadamente ainda hoje, mas a Adpesp marcou seu encontro com as bases apenas na quinta-feira.

Além disso, destacou Dahmer, a base governista também propôs abrir um canal de discussão a partir do ano que vem com os policiais para debater as condições de trabalho e remuneração da categoria. "O principal é que eles se comprometeram a abrir um canal de diálogo para debater a Polícia Civil", destacou o diretor da Adpesp.

    Leia tudo sobre: greve da polícia civil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG