Líder tucano diz que Sarney precisa romper com Agaciel para continuar na presidência

BRASÍLIA - O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse em discurso no plenário da Casa nesta tarde, que se o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), não ¿romper todo e qualquer laço¿ com o ex-diretor-geral Agaciel Maia e com o ex-diretor de Recursos Humanos João Carlos Zoghbi ele não vai ter condições de ficar à frente da instituição.

Severino Motta, repórter em Brasília |


Vossa Excelência precisa romper todo e qualquer laço com essa camarilha. Se revelar que não pode ou revelar que não vai (...) perderá a capacidade de dirigir essa Casa, disse.

Virgílio ainda comentou que não exitaria em pedir a abertura de um processo no Conselho de Ética contra Sarney caso isso fosse necessário para a sobrevivência do Senado.

As criticas do tucano começaram devido a supostas chantagens que ele estaria sofrendo do ex-diretor-geral Agaciel. De acordo com ele, gastos médicos de sua mãe podem ter sido tratados por Agaciel como atos secretos, para que os mesmos se transformassem em material para chantagem.

Ele ainda disse que Agaciel está divulgando informações de que o Senado teria lhe dado dinheiro quando, numa viagem ao exterior, seu cartão ficou bloqueado. Virgílio disse realmente pediu ajuda a um diretor do Senado, mas que antes mesmo de retornar já teria devolvido os recursos.

Num discurso onde as palavras "camarilha", "ladrão" e "bandido" foram repetidas de forma frequente, Virgílio disse que é preciso "resgatar o Senado neste mandato, se necessário decepando o mandato de senadores e de servidores".

    Leia tudo sobre: agaciel maiacorrupçãosarneysenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG