Líder dos Sex Pistols diz que punk é sobre família e comunidade

Por Golnar Motevalli LONDRES (Reuters) - Johnny Rotten e sua banda punk Sex Pistols provocaram o establishment britânico por décadas, falando palavrões na TV e zombando da realeza.

Reuters |

Assim, pode surpreender ouvir o vocalista John Lydon -- ou Johnny Rotten, como é mais conhecido -- descrever o movimento punk, que ele ajudou a lançar, como defensor dos 'valores familiares'.

'Valores familiares, união, espírito, comunidade. Todas essas coisas que tentam roubar de nós. Isso é o punk', disse Lydon à Reuters em entrevista esta semana.

'Quase não há equipamentos sobre o palco porque uma banda séria não precisa de quantidades enormes de engenhocas eletrônicas. Não há fake, não há enganação', disse o vocalista no lançamento em Londres de um DVD de uma turnê dos Sex Pistols feita em 2007.

'As canções são tão irreverentes e obscenas quanto todo o mundo neste país deveria ser sempre. São cheias de ironia e diversão.'

Os Sex Pistols são conhecidos sobretudo por canções como 'Anarchy In The U.K.', 'Pretty Vacant' e 'God Save the Queen', todos de seu álbum 'Never Mind the Bollocks ... Here's the Sex Pistols', de 1977.

Apesar de ser o primeiro e único álbum da banda gravado em estúdio, o disco frequentemente é citado como um dos mais influentes na história da música pop.

AMIGOS, FAMILIARES, FAMOSOS

Amigos, familiares e roqueiros britânicos estavam no público que assistiu ao DVD numa antiga sala de concertos ao norte de Londres, a pouca distância de onde Lydon passou sua infância e onde os Sex Pistols fizeram um de seus primeiros shows.

'É um dos primeiros lugares em que pudemos tocar como Sex Pistols', ele explicou. 'Éramos menores de idade. A maioria dos pubs e clubes não nos deixavam entrar e não confiavam em nós.'

Entre imagens dos shows de 2007, os outros membros da banda -- Glen Matlock, Steve Jones e Paul Cook -- visitam lugares em Soho, Londres, e outros que conheciam de sua infância, enquanto Lydon faz um tour guiado à cidade em um ônibus de dois andares.

O vocalista de 52 anos critica boa parte da arquitetura envidraçada londrina do pós-guerra e diz que o edifício Swiss Re, com formato de pepino, deveria ser detonado.

Hoje os Sex Pistols costumam ser vistos com um misto de nostalgia e afeto, mas em sua época áurea, mais de 30 anos atrás, eles eram controversos e odiados por muitos.

O DVD é intitulado 'There'll Always Be An England', nome de uma canção patriótica da época da guerra e que também foi cantada no palco durante a turnê.

Os comentários de Lydon são repletos de referências a suas raízes na classe operária e o orgulho profundo que sente por Londres.

Indagado sobre o que pensa de ser visto como ícone da rebelião, ele respondeu: 'Não entendo essa coisa de ícone, mas, se você a está oferecendo, aceito. Não preciso ser número 1.'

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG