BRASÍLIA - O líder do PT na Câmara dos Deputados, Maurício Rands (PE), disse nesta quarta-feira (21) que a divulgação da arrecadação recorde da Receita Federal nos primeiros quatro meses do ano não comprometerá a luta dos governistas e a busca de apoios para a volta da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

De acordo com Rands, os governistas estão preocupados com uma forma de financiamento da saúde, que seja permanente, como são permanentes as despesas, argumentou o líder. Ele adiantou que pretende encaminhar na próxima semana, na forma de lei complementar, uma proposta para a volta da CPMF.

Arrecadação é algo variável, que depende da conjuntura econômica, disse.

Vamos terminar o trabalho que o Senado começou e não concluiu. O Senado criou a despesa, mas não indicou a receita, disse o deputado, referindo-se à aprovação da proposta que regulamenta a Emenda 29, que fixa percentuais mínimos para investimento em saúde para União, os estados e os municípios.

Em abril, a Receita arrecadou R$ 59,754 bilhões, um aumento real de 11,44% em relação a abril do ano passado, quando o governo apurou R$ 53,618 bilhões. Essa arrecadação total inclui tanto os impostos e contribuições federais quanto a contribuição previdenciária.

Em relação a março deste ano, o aumento real foi maior, de 16,52%.

Leia mais sobre: Emenda 29 - CPMF

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.