Lei muda organização do ensino tecnológico no País

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou ontem uma lei que muda a organização do ensino tecnológico brasileiro. A partir de agora, as escolas técnicas, agrotécnicas e os Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets) serão agrupados em 38 novos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia.

Agência Estado |

A meta é garantir que pelo menos 50% dos alunos da rede tenham ensino médio integrado ao profissionalizante.

O governo pretende também direcionar os cursos superiores para a formação de professores de física, química, matemática e biologia - uma das maiores carências do ensino no País. A nova rede nasce com 168 câmpus e 215 mil vagas. Com a construção de novas escolas, o governo estima que os institutos estarão atendendo 500 mil estudantes até o final do governo Lula, em dezembro de 2010. Os institutos terão autonomia para mudar e criar cursos.

O Ministério da Educação (MEC) não informou o total de novos cargos que serão criados nem deu detalhes de como será a administração dos novos institutos. O governo pretende reduzir o déficit de professores de ciências da natureza, reservando 20% das vagas dos cursos superiores da rede para formar educadores nessa área. A meta ainda é destinar 30% das vagas de cursos superiores para Engenharia e bacharelado tecnológico em mecânica, eletricidade e informática. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG