Legalização de bingos no Brasil divide opiniões em comissão do Senado

BRASÍLIA - A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados discute nesta quarta-feira o projeto de lei que legaliza a atividade de bingos no Brasil. O relator da proposta, deputado Regis de Oliveira (PSC-SP), apresentou parecer favorável à matéria. Ele argumenta que a atividade provocará o aumento significativo na arrecadação do País, além de fomentar o setor de turismo.

Sarah Barros, repórter em Brasília |

Ao defender voto em separado, o deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-SP) destacou a relação da atividade com o crime organizado. Ele também criticou o imposto a ser cobrado pela exploração dos bingos. O projeto prevê taxa de 17% sobre os rendimentos, sendo que 15% deverá ser destinado à Saúde.

A taxa é menor do que o índice mais alto do Imposto de Renda, que é 27%. O setor vai ganhar milhões e pagar menos do que o que seria cobrado no imposto de renda, disse.

O deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), que também apresentou voto diferente do relator, destacou a necessidade de fiscalização da atividade. Para ele, é preciso estabelecer a proporcionalidade dos jogos, com o nível de probabilidade de vitória.

Nos jogos especificados, não constam estas probabilidades, disse.

Cassinos

Ao responder a questionamento sobre o teor do relatório, o deputado Regis de Oliveira frisou que o projeto a ser votado não libera a abertura de cassinos. O texto trata apenas de bingos, vídeobingo e vídeojogo.

Leia mais sobre: bingos

    Leia tudo sobre: bingo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG