LDO não tem chances de ser votada hoje, diz Ideli

A votação do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2010 no plenário do Congresso deve ser adiada, informou no começo da noite a líder do governo no Congresso, senadora Ideli Salvatti (PT-SC). Não tem chances de a LDO ser votada hoje, afirmou.

Agência Estado |

Ideli criticou a oposição, que, segundo ela, faz cada vez mais exigências. Primeiro, citou a senadora, exigiram que fosse instalada a CPI da Petrobras. "Agora, querem a instalação do Conselho de Ética e já estão dizendo que também querem a votação da medida provisória 460, que reduz tributos para as construtoras do programa habitacional Minha Casa e Minha Vida." Ela ironizou: "Daqui a pouco vão começar a exigir que cor de roupa a gente tem que vestir para poder votar".

Ideli Salvatti deu as declarações ao sair do gabinete do presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE). Ela tentava negociar uma saída para o impasse criado pelo DEM e o PSDB, que anunciaram estratégia para impedir a votação da LDO, ou obstruindo a sessão ou não dando quórum para a realização da sessão. A ação da oposição é uma reação à manobra do governo, desencadeada no início da tarde, que impediu a reunião do Conselho de Ética do Senado. Parlamentares do DEM identificam na manobra do governo uma tentativa de protelar ao máximo o exame pelo Conselho de Ética de denúncias contra o senador José Sarney (PMDB-AP). O líder do DEM no Senado, José Agripino (RN), afirmou: "Enquanto não houver presidência para o Conselho de Ética, os Democratas obstruirão todas as votações no Congresso".

Além do impasse com a oposição, a votação da LDO hoje enfrenta impasses técnicos. Ao defender o adiamento da sessão do Congresso, o vice-líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), afirmou: "Com tantos impasses técnicos no texto é difícil que a votação ocorra hoje". O deputado Marco Maia (PT-RS) chegou a abrir a sessão do Congresso no início da tarde de hoje. A sessão, no entanto, foi suspensa até que a Comissão Mista de Orçamento conclua a votação de créditos extraordinários e requerimentos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG