SÃO PAULO - Usar lavouras como espelhos para refletir parte da radiação solar que chega à Terra e, assim, combater o aquecimento global: a ideia parece extravagante, mas foi proposta por pesquisadores ingleses da Universidade de Bristol em artigo publicado nesta sexta-feira na revista científica Current Biology . No próprio trabalho, a estratégia já ganhou um nome: biogeoengenharia.

O segredo seria, em um primeiro momento, substituir as variedades tradicionais de plantas agrícolas por aquelas com folhas mais lustrosas ou outras estruturas que aumentem a reflexão. A cevada, citada como exemplo no trabalho, tem uma variedade com folhas cobertas de cera. Segundo a estratégia, ela substituiria a cevada de folhas opacas. Com o tempo, o melhoramento genético poderia produzir híbridos que desempenhassem a função com mais eficácia, sem comprometer a produtividade.

Para comprovar a eficácia da estratégia, os pesquisadores realizaram uma simulação computacional. Segundo o modelo, a temperatura média na superfície do planeta cairia 0,11°C, quase 20% do aumento total desde a Revolução Industrial. O principal autor do trabalho, Andy Ridgwell, argumenta que a proposta é de mais fácil aplicação do que outras estratégias já sugeridas para combater o aquecimento global para refletir a radiação solar. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: aquecimento global

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.