Laudo isenta acusado de matar Glauco de punição criminal

Laudo psiquátrico de Cadu o considerou inimputável; defesa pede que ele seja transferido de penitenciária federal para hospital

iG São Paulo |

Laudo psiquiátrico e psicológico de sanidade mental de Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, conhecido como Cadu, que confessou ter matado o cartunista Glauco e seu filho Raoni em março deste ano em Osasco, na Grande São Paulo, conclui que ele é inimputável, ou seja, não pode ser penalizado criminalmente porque "não era capaz de entender o caráter ilícito do fato por ele praticado".

AE
Carlos Eduardo Sundfeld Nunes quando foi preso em abril deste ano
De acordo com nota do juiz federal substituto da 2ª Vara federal criminal de Foz do Iguaçu, Mateus de Freitas Cavalcanti Costa, “o acesso ao conteúdo do laudo foi restringido _segredo de justiça parcial_ para a proteção da intimidade e privacidade do acusado, de seus familiares e dos familiares das vítimas, bem como em razão das informações confidenciais decorrentes da relação médico/paciente”.

Segundo a nota, a defesa e o Ministério Público foram intimados para se manifestarem sobre o laudo. Após a apresentação do laudo, a defesa de Cadu pediu sua transferência da Penitenciária Federal de Catanduvas, onde atualmente está preso, para o Hospital Psiquiátrico Complexo Médico-Penal do Paraná - CMP, ou outro hospital semelhante. A Justiça informa que aguarda a manifestação do Ministério Público Federal para decidir sobre a transferência.

    Leia tudo sobre: glaucocrime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG