Laudo confirma que Isabella morreu em decorrência da queda, diz TV

SÃO PAULO - O laudo do Instituto de Criminalística (IC) aponta que a menina Isabella Nardoni, morta no dia 29 de março após ser jogada do 6º andar do prédio do pai, foi asfixiada por esganadura e teve uma parada cardíaca antes de ser jogada de quase 20 metros de altura. Com a queda, a menina teria sofrido politraumatismo e morrido. As informações são da Band News e do jornal SPTV, da TV Globo.

Redação |

Os laudos colocam as causas da morte como asfixia e politraumatismo. Porém, a menina ainda estava viva quando foi jogada da janela. Ela ainda teria ficado 3 minutos inconsciente.

O IC mostrou que a menina foi agredida dentro do apartamento e isto foi confirmado pelos laudos do Instituto Médico Legal (IML), que analisaram as manchas de sangue encontradas dentro do apartamento. Isabella foi encontrada com marcas no pescoço e pontas de dedos arroxeadas. O IML encontrou manchas de sangue no coração, no pulmão e estômago e fígado.

Segundo a TV, também está confirmada a informação de que não havia uma 3ª pessoa no apartamento, na noite do crime. A polícia teria usado os depoimentos de testemunhas e tecnologias que detectam vestígios. A pegada no lençol foi atribuída a Alexandre Nardoni, pai da menina.

Depoimento de Alexandre e Anna Carolina

Está marcado para as 10h30 desta sexta-feira o depoimento do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, segundo informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Eles irão depor no 9º Distrito Policial, no bairro do Carandiru, na zona norte da capital. O casal será ouvido no dia em que Isabella Nardoni completaria 6 anos.

Exagero em depoimento

O pai de Alexandre Nardoni, Antonio Nardoni, afirmou, na manhã desta quinta-feira, que a mãe de Isabella, Ana Carolina Oliveira, pode ter exagerado em seu depoimento . Para ele, foi um depoimento de uma pessoa em um momento muito ruim.

Antonio acompanhou a mulher, Maria Aparecida Alves Nardoni, em seu depoimento no 9º Distrito Policial, onde correm as investigações. Na saída da delegacia, o pai de Alexandre afirmou que  Alexandre confessaria se fosse culpado . Ele apontou algumas contradições nas falas de Ana Carolina e disse que a família Nardoni está abalada. Esta quinta-feira é especialmente difícil para a família, pelo aniversário de um ano de Kauê, um dos filhos do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá.

O caso

AE
Isabella era filha do consultor jurídico Alexandre Alves Nardoni e da bancária Ana Carolina Cunha de Oliveira. A cada 15 dias, ela visitava o pai e a madrasta Anna Carolina Trotta Peixoto.

No sábado, dia 29 de março, a garota foi encontrada morta no jardim do prédio em que o pai mora. A polícia descartou desde o princípio a hipótese de acidente. O delegado titular do 9º Distrito Policial Carandiru, Calixto Calil Filho, declarou que Isabella foi jogada da janela do apartamento por alguém.

O delegado destacou o fato de a tela de proteção da janela do quarto ter sido cortada e de ninguém ter dado queixa de desaparecimento de pertences no local.

O pai teria alegado à polícia que um homem invadiu o seu apartamento. Ele e Anna Carolina afirmam ser inocentes e, por meio de cartas, disseram esperar que "a justiça seja feita".

NOTÍCIAS DO DIA SOBRE O CASO

  • Mãe de Isabella talvez tenha exagerado, diz pai de Alexandre
  • Mãe de Isabella não descarta que casal possa estar envolvido
  • Se Alexandre fosse culpado "já teria assinado confissão", diz avô

  • Veja a cronologia do caso Isabella Nardoni
  • Saiba quais as questões que a polícia precisa esclarecer

    VÍDEOS DO CASO ISABELLA

    Laudos

    Depoimentos

    Prisão

    Reprodução

    Isabella em vídeo

    OPINIÃO

    • Leia tudo sobre: isabella

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG