Eles estão entre os 61 denunciados pelo Ministério Público Federal por crimes de corrupção. Também estão entre os denunciados o diretor da Gautama, Zuleido Veras, e o ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau." / Eles estão entre os 61 denunciados pelo Ministério Público Federal por crimes de corrupção. Também estão entre os denunciados o diretor da Gautama, Zuleido Veras, e o ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau." /

Lago e Vilela negam ligação com fraudes da Gautama

Os governadores de Alagoas e do Maranhão, Teotonio Vilela Filho (PSDB) e Jackson Lago (PDT), respectivamente, negaram nesta terça-feira envolvimento no caso de corrupção envolvendo a empresa Gautama, descoberto na Operação Navalha, da Polícia Federal. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/05/13/navalha_mp_denuncia_2_governadores_e_silas_rondeau_1309607.html target=_topEles estão entre os 61 denunciados pelo Ministério Público Federal por crimes de corrupção. Também estão entre os denunciados o diretor da Gautama, Zuleido Veras, e o ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau.

Agência Estado |


Agência Brasil
Jackson Lago nega denúncia
Lago reagiu com surpresa à denúncia do Ministério Público Federal, por formação de quadrilha, peculato e corrupção passiva. Segundo o MPF, ele teria recebido aproximadamente R$ 290 mil de propina da Gautama para liberação de obras públicas no Maranhão.

"Foi com surpresa e indignação que tomei conhecimento da denúncia do Procurador-Geral da República. Meu nome apenas fora mencionado indiretamente em ligações telefônicas de terceiros", disse Lago, em nota oficial.

Agência Brasil
Vilela diz que se aprentou como testemunha
Vilela, denunciado por formação de quadrilha, peculato e corrupção passiva, negou qualquer envolvimento. Em nota distribuída à imprensa, disse que exonerou os acusados que exerciam cargos públicos no Estado e que esteve, pessoalmente, como testemunha do caso, no Superior Tribunal de Justiça, em Brasília.

Na época, foram exonerados os secretários estaduais Adeilson Bezerra (Secretaria de Infra-estrutura) e Enéas Alencastro (chefe do escritório de Alagoas em Brasília).

Outros denunciados

Outros denunciados também comentaram a ação do MPF e alegaram inocência. O ex-governador do Maranhão José Reinaldo Tavares (PSB) afirmou que soube da denúncia por meio de um blog

 Por meio de advogados, o conselheiro do Tribunal de Contas de Sergipe Flávio Conceição disse que não recebeu informações da denúncia, mesma alegação do advogado do empresário João Alves Neto, filho do ex-governador de Sergipe João Alves Filho, também denunciado.

O argumento do desconhecimento do teor da denúncia foi repetido pelo ex-secretário de Estado da Fazenda e Educação de Sergipe Gilmar de Melo Mendes.

Não foram localizados para comentar as denúncias Abdelaziz Santos (secretário de Administração do Maranhão), Wagner Lago (irmão de Jackson Lago e representante do governo do Maranhão em Brasília), Ney de Barros Bello (ex-secretário de Obras e Infra-Estrutura do Maranhão), Dimas Soares de Veras (irmão de Zuleido Veras), o ex-deputado federal Ivan Paixão (PPS-SE), o ex-secretário da Fazenda de Sergipe Max Andrade e o ex-governador de Sergipe João Alves Filho.


Leia mais sobre: Operação Navalha

    Leia tudo sobre: operação navalha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG