Ladrões fizeram um buraco num dos vitrais de Marc Chagall na catedral de Metz (leste da França) para entrar no templo e roubar apenas alguns objetos sem valor, como crucifixos e medalhinhas.

O vitral, criado em 1963 pelo artista francês, mostrava Eva e a maçã numa cena do pecado original.

Segundo as fontes da igreja, o ladrão ou ladrões que quebraram a obra era muito magros ou muito experientes em escalada, pois o buraco que fizeram no vitral era de apenas 65 por 35 centímetros e estava situado a três metros do chão.

Os objetos de valor do templo se encontravam tranchados num cofre da tesouraria da igreja.

A restauração do vitral, um cristal amarelo muito especial, será providenciado pelo Estado.

A catedral Saint Etienne de Metz conta com os maiores vitrais de toda a França (6.500 m2), sendo três deles obras de Marc Chagall.

tj/cls/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.