Veja os gastos do governo nos últimos anos http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/02/11/cartao_corporativo_entenda_o_caso_e_veja_o_que_ja_foi_noticia_1185467.htmlEntenda o caso dos cartões e veja o que já foi notícia " / Veja os gastos do governo nos últimos anos http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/02/11/cartao_corporativo_entenda_o_caso_e_veja_o_que_ja_foi_noticia_1185467.htmlEntenda o caso dos cartões e veja o que já foi notícia " /

Lacerda diz que presidente pode ser envenenado caso sigilos sejam abertos

BRASÍLIA - O Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda, disse na manhã desta quarta-feira, em audiência da CPMI dos Cartões Corporativos, que todas as contas relativas ao presidente da República e seus familiares devem ser sigilosas. De acordo com ele, até mesmo gastos supérfluos, como vinhos ou toucas de banho, podem representar brechas na segurança presidencial. http://www.portaldatransparencia.gov.br/index4.asp target=_blankVeja os gastos do governo nos últimos anos http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/02/11/cartao_corporativo_entenda_o_caso_e_veja_o_que_ja_foi_noticia_1185467.htmlEntenda o caso dos cartões e veja o que já foi notícia

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

"É óbvio que através de um alimento você pode envenenar quem vai consumi-lo", disse.

Segundo Lacerda, a figura do presidente da República é uma instituição do Estado e deve ser preservada. Infelizmente, diz ele, não é possível que um líder de Estado circule livremente sem ser molestado.

"Devemos dar segurança, garantia. É imprescindível que questões de despesas ligadas ao seu dia-a-dia sejam alvos de cautela por parte do sistema de segurança", disse.

Ele citou até mesmo a ex-senadora colombiana Ingrid Betancourt, seqüestrada pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), quando fazia campanha para a presidência daquele país.

A presidente da CPMI, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), citou o depoimento da última terça-feira, do general Jorge Félix, responsável pelo gabinete de segurança do presidente. Ela alegou que o general admitiu que gastos corriqueiros, como os de alimentação não necessitariam de sigilo.

O mesmo fez o deputado Vic Pires (DEM-PA), alegando que "a carne do presidente, depois que ele comeu e não morreu, pode colocar no portal da transparência".

Lacerda seguiu sua linha de raciocínio e disse que mesmo pequenos gastos podem levar a padrões de consumo, sendo possível identificar pontos de venda e manipular produtos que podem prejudicar a segurança presidencial.

"O sigilo é absolutamente necessário. Os gastos não podem ser tornar vulnerabilizados por causa de uma eventual prestação de contas", destacou.

Vic concordou com a argumentação relativa ao padrão de consumo, alegando que uma casa de carne em que existe compra continuada da presidência da República realmente deve ficar sob sigilo. Ele defende, contudo, que outros consumos devem ser abertos tão logo sejam feitos. 

Por fim, Lacerda lembrou aos integrantes da CPMI que todos os gastos da presidência são auditados pelos órgãos de fiscalização do Estado, como o Tribunal de Contas da União e Controladoria Geral da União.

Caso dossiê

Em relação ao dossiê contendo gastos do ex-presidente FHC e de sua esposa, Ruth Cardoso, Lacerda disse confiar nas investigações da Polícia Federal e acredita que além de descobrir os responsáveis pelo vazamento das informações a PF também deve chegar no nome de quem produziu o material.

"O ministro [da Justiça] Tarso Genro sempre deu total liberdade de trabalho para a PF, que no final vai oferecer ao judiciário e a sociedade o esclarecimento final [sobre o dossiê]", disse.

Clima 

O depoimento do diretor-geral da Abin foi morno, com pouca presença do governo e da oposição. O deputado Vic Pires chegou a dizer que a CPMI parecia mais um cemitério e que a tendência era de piorar.

Ele criticou até mesmo seus colegas oposicionistas. "Somos os últimos dos moicanos, cada vez estamos mais abandonados pela oposição".

Leia mais sobre:

Leia mais sobre: CPI dos Cartões

    Leia tudo sobre: cpi dos cartões

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG