Laboratório testa nova droga para prevenir enxaqueca

Uma nova classe de drogas poderá melhorar a qualidade de vida das pessoas que sofrem de enxaqueca. Segundo reportagem publicada anteontem pelo jornal britânico The Guardian , um remédio do laboratório inglês Minster Pharmaceuticals, que diminuiria significativamente a ocorrência das crises, já está na terceira fase de testes clínicos.

Agência Estado |

O neurologista Peter Goadsby, professor da Universidade da Califórnia em São Francisco, foi contratado pelo laboratório para coordenar os testes clínicos realizados na Europa. Ele explica que o Tonabersat, nome do medicamento, pertence a uma nova categoria: os bloqueadores de junção neural, capazes de reduzir a atividade excessiva do cérebro, um provável fator responsável pelas crises.

Segundo dados divulgados pela empresa, nos testes europeus, observou-se uma diminuição média de 64% na ocorrência das crises em pessoas que receberam o medicamento durante três meses. O Tonabersat é uma invenção da GlaxoSmithKline. A empresa vendeu o projeto para a Minster, que pretende concluir a validação do produto e colocá-lo no mercado.

O médico Alexandre Feldman, especialista em enxaqueca, adota uma postura prudente. “Houve medicamentos que apresentaram ótimos resultados nos testes, mas descobrimos que não eram tudo isso quando chegaram ao mercado.” Feldman lembra o Topamax, “já apresentado por alguns como a cura”.

O neurologista Deusvenir Carvalho, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), também considera difícil produzir um medicamento com menos efeitos colaterais do que os bloqueadores beta. “Precisamos esperar o fim dos testes”, afirma. Atualmente, 500 pacientes experimentam o produto nos Estados Unidos e no Canadá. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG