O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), disse hoje que não vai negociar com os servidores da Guarda Civil Metropolitana (GCM) enquanto eles estiverem em greve. Os guardas estão parados desde segunda-feira.

"Não existe diálogo enquanto houver greve", afirmou o prefeito, após participar de evento do governo do Estado no Palácio dos Bandeirantes, na Capital. "A manifestação da GCM é um equívoco. São demandas inadequadas para o momento."

Os guardas civis exigem reajuste do salário-base da categoria, implantação de um plano de carreira e aumento do porcentual de gratificação. O envio à Câmara de um projeto de lei de autoria de Kassab para dar abono a policiais que trabalhem para a Prefeitura acirrou o embate com os guardas civis. A proposta foi aprovada ontem pelos vereadores por unanimidade. "Só falta esta: alguém achar que não podemos estabelecer convênios com a polícia", reagiu Kassab. O prefeito disse não ver relação entre o projeto de lei e as reivindicações da GCM. "São questões distintas. Negociação salarial é em outro fórum. Jamais nos negaremos a dialogar."

Kassab deixou claro ainda que os grevistas serão punidos. "Os funcionários da GCM têm obrigação de cumprir suas responsabilidades. Vamos exigir que cumpram e aplicar as sanções previstas em lei." O prefeito não detalhou como será a punição. Para tanto, aguarda a orientação da assessoria jurídica da prefeitura. Na terça-feira, a Procuradoria do Município pediu à Justiça que declare a greve ilegal.

O governador do Estado, José Serra (PSDB), negou-se a responder sobre qualquer questão fora do assunto do evento - a entrega de prêmios em dinheiro do Programa Nota Fiscal Paulista. "Eu não vou falar de mais nada porque ontem fui inaugurar a Universidade Virtual do Estado de São Paulo e não saiu nada (na imprensa) sobre a Univesp", disse. "Agora, não vou tratar de outro assunto (que não o do evento)." Serra foi prefeito da Capital em 2005 e deixou a Prefeitura para o vice, Kassab, para concorrer ao governo paulista.

O governador falou sobre o esforço para estender a outros Estados três iniciativas paulistas de sua administração: a Nota Fiscal Paulista, a lei antifumo e o Emprega São Paulo. Ele esteve reunido ontem à noite com a governadora gaúcha, Yeda Crusius (PSDB), para assinar a concessão da tecnologia do site Emprega São Paulo para o Rio Grande do Sul. Segundo Serra, a cessão é gratuita.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.