Kassab evita avenida e vê desfile pela TV no camarote

Em meio a uma crise de imagem por causa das enchentes que assolam a capital paulista desde dezembro, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), evitou a todo custo o público do sambódromo na primeira noite de desfiles das escolas de samba do grupo especial. Das três horas que Kassab ficou no Sambódromo do Anhembi, uma hora e quinze minutos foram gastos dentro de uma sala vip nos fundos do Camarote Oficial da Prefeitura, sem vista para o desfile.

Agência Estado |

Na sala, uma televisão transmitia o desfile.

Apesar de ter prometido, ao chegar ao sambódromo, que caminharia pela avenida, sem temer protestos das arquibancadas, o prefeito não saiu do camarote e passou longe da passarela do samba. "Avenida é só para quem vai desfilar", justificou Kassab, ao ir embora, pouco depois da 1 hora da manhã. Mais cedo, questionado pela reportagem da Agência Estado se pretendia caminhar pela avenida ou se temia manifestações, respondeu: "Vou (caminhar na avenida) hoje. Vocês sabem que não temo."

Kassab vem enfrentando protestos de moradores de bairros alagados. Ao visitar uma dessas regiões, em janeiro, foi vaiado, xingado e teve de sair às pressas. No carnaval de 2009, o prefeito chegou ao sambódromo pela concentração e andou 150 metros pela avenida até o Camarote Oficial, ao lado do governador José Serra. Hoje, Kassab entrou no sambódromo pelo camarote e só saiu para a área externa quando a primeira escola, a Imperador do Ipiranga, pisou na avenida. Antes disso, aproveitou para, sentado à mesa, saborear croissants, bolos e pizzas, com refrigerante.

Na área externa, Kassab assistiu por 35 minutos à passagem da Imperador do Ipiranga, do alto de uma miniarquibancada a pelo menos cinco metros da grade que separa o camarote da avenida. Quando Serra chegou ao espaço, deu um rápido abraço no prefeito e seguiu cumprimentando os foliões sem a companhia de Kassab. O prefeito voltou então para a sala vip, onde se reuniu com o governador por 20 minutos. Por lá Kassab ficou até deixar o sambódromo. Ao menos dentro do Camarote Oficial - onde só entram convidados da Prefeitura de São Paulo - a recepção ao prefeito foi amistosa.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG