Kassab diz que sua meta é ter ônibus de graça em SP

A menos de duas semanas para o primeiro turno das eleições municipais, o atual prefeito de São Paulo e candidato à reeleição pelo DEM, Gilberto Kassab, citou durante debate sobre trânsito com outros candidatos que uma de suas metas é chegar um dia à tarifa zero de ônibus. Após o fim do evento, entretanto, Kassab, ressaltou que seria leviano fazer essa promessa, porque é impossível para o orçamento da cidade.

Agência Estado |

"No ano que vem não terá aumento de tarifa. Se pudermos chegar um dia a tarifa zero, essa é a nossa meta", disse Kassab, ao apresentar suas propostas sobre a área durante encontro com candidatos à Prefeitura promovido pelo Movimento Nossa São Paulo.

Entretanto, a fala do prefeito foi alvo de críticas por parte de seus adversários. Para Marta Suplicy - "Uma Nova Atitude para São Paulo" (PT-PCdoB-PDT-PTN-PRB-PSB), foi uma "escorregada no populismo". "Eu não levei a sério. Acho que ele escorregou aí, ou então fez um factóide que é pesado", disse a petista. Já Geraldo Alckmin, da coligação "São Paulo, na Melhor Direção" (PSDB-PTB-PHS-PSL-PSDC), questionou a viabilidade financeira da proposta de Kassab. "Hoje você tem uma tarifa de R$ 2,30 e perto de R$ 600 milhões de subsídio. Você imagina o subsídio que vai ter que ter", argumentou.

Após o fim do evento, Kassab - "São Paulo no Rumo Certo" (DEM-PR-PMDB-PRP-PV-PSC) - explicou que esta é uma meta, e não uma proposta para o próximo mandato, caso seja eleito. "Eu disse que a meta de qualquer cidadão paulistano e de qualquer brasileiro é que um dia tenhamos tarifa zero", pontuou. "Quem não gostaria de oferecer (tarifa zero) àqueles que não tem transporte individual, até para incentivar (o uso do transporte público)?", questionou, aproveitando para ressaltar o fato de sua gestão não ter elevado a tarifa. "Pela primeira vez a cidade de São Paulo ficou dois anos sem aumentar tarifa de ônibus e ficaremos agora mais um ano", disse, reiterando a promessa de não elevar a tarifa de ônibus em 2009.

Kassab negou que tenha planos para reduzir a tarifa do ônibus caso seja reeleito. "Estamos reduzindo na medida em que há inflação, na medida que as pessoas têm aumento de salário, na medida que (o tempo de validade do) Bilhete Único na nossa gestão foi aumentado de duas horas para três horas, na medida que implantamos o amigão, que é oito horas de validade do Bilhete Único", disse, destacando as ações tomadas em sua gestão.

A redução gradual da tarifa de ônibus rumo à tarifa zero foi prometida por Edmilson Costa, do PCB. Ivan Valente, da coligação "Alternativa de Esquerda para São Paulo" (PSOL-PSTU), também tem essa medida como uma de suas propostas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG