A assessoria de imprensa da Prefeitura de São Paulo divulgou esta noite nota afirmando que não houve contradição entre declarações do prefeito Gilberto Kassab (DEM) e do governador José Serra (PSDB) a respeito do funcionamento do sistema de bombeamento das marginais ontem, dia em que a cidade parou por causa dos efeitos da chuva persistente. De acordo com a assessoria, o prefeito referiu-se hoje, especificamente, ao sistema da Ponte das Bandeiras, localizada na Marginal Tietê, ao afirmar que não houve falhas de bombeamento.

O governador José Serra, por sua vez, falava de problemas do sistema da Usina Elevatória de Traição, na Marginal Pinheiros. "São assuntos distintos", diz nota da assessoria.

Em relação à bomba da Ponte das Bandeiras, no entanto, o engenheiro Ubirajara Tannuri Félix, superintendente do Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee), órgão vinculado à Secretaria de Saneamento e Energia do Estado, afirmou ontem ao jornal O Estado de S.Paulo que uma falha foi constatada no sistema de bombeamento que leva ao Rio Tietê a água drenada da pista sob a Ponte das Bandeiras. Tannuri diz ter verificado o problema pessoalmente. A manutenção é de responsabilidade da Prefeitura de São Paulo, segundo o técnico. "As bombas deram problema. Não conseguiram operar a contento e atrasaram o escoamento. A água fica na pista local, enche e consequentemente não flui o tráfego por baixo da ponte", disse ao jornal. "Fui ao local com técnicos da Prefeitura e constatei isso", afirmou.

Hoje, a titular da Secretaria de Saneamento e Energia do Estado, Dilma Pena, não se referiu a problemas de bomba na Ponte das Bandeiras, mas explicou que o muro de contenção que protege a pista da marginal contra a passagem de água cedeu. O problema foi resolvido, segundo ela.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.