cassação de seu mandato por determinação da Justiça eleitoral, que alega doações ilegais de campanha. Para o prefeito, a decisão será revertida." / cassação de seu mandato por determinação da Justiça eleitoral, que alega doações ilegais de campanha. Para o prefeito, a decisão será revertida." /

Kassab diz que fez campanha ética e se mostra confiante na Justiça

SÃO PAULO - O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), demonstrou confiança nesta segunda-feira em relação ao desfechou sobre a http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2010/02/22/cinco+empreiteiras+ja+receberam+r+243+mi+de+kassab+9404889.htmlcassação de seu mandato por determinação da Justiça eleitoral, que alega doações ilegais de campanha. Para o prefeito, a decisão será revertida.

Reuters |

"São tão legais as doações que inclusive já aconteceram nas campanhas de presidentes da República, senadores e deputados", disse Kassab a jornalistas nesta manhã ao cumprir agenda na zona leste da capital paulista. Ele se disse confiante na Justiça. "O importante é que toda a nossa campanha foi feita de forma correta, muita transparência, muita ética e que todos saibam que confiamos na Justiça", afirmou, adiantando que o caso está entregue a seus advogados.

AE
 Kassab participa de cerimônia de inauguração do 12º Centro de Referência da Assistencia Social(CRAS), Unidade Aricanduva, na zona leste da capital
O juiz Aloísio Sérgio Resende Silveira , da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, decidiu cassar o mandato de Kassab por considerar que algumas doações para sua campanha na eleição de 2008 teriam sido ilegais. A medida do juiz também cassou o mandato da vice-prefeita, Alda Marco Antonio (PMDB).

A decisão, que torna o prefeito inelegível por três anos, será publicada na terça-feira, mas seu advogado de defesa, Ricardo Penteado, disse que já assinou o recurso que será entregue ainda nesta tarde à Justiça eleitoral.

O recurso prevê um pedido de efeito suspensivo de modo que o prefeito possa permanecer no cargo até que haja uma manifestação final da Justiça.

Estrela de um partido que enfrenta o desgaste do escândalo de um suposto esquema de pagamentos de propinas no Distrito Federal, Kassab fez questão de ressaltar que o motivo alegado pelo juiz para a cassação é técnico, não envolvendo o "campo moral".

"São questões técnicas e jurídicas. Não está havendo acusação no campo moral", ressaltou Kassab, sobre sua situação.

No DF, José Roberto Arruda, que está preso há 11 dias na Polícia Federal por acusação de atrapalhar investigações da Justiça, se licenciou do cargo de governador e se desfiliou do Democratas diante da iminência de ser expulso do partido. Quem enfrenta ameaça semelhante agora é o governador em exercício, Paulo Octávio (DEM).

A vice-prefeita deu declarações semelhantes às do prefeito. "Estou confiante que no final tudo isso deve ser esclarecido. É uma questão técnica", disse Alda.

O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), acredita que a situação do Kassab é reversível.

"Essa é uma questão tranquila. O juiz tentou reformar uma posição tomada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A decisão deverá ser reformada pelo tribunal superior", disse.

Kassab diz não temer a cassação. Assista à entrevista:

Leia mais sobre:

Saiba mais sobre Gilberto Kassab

    Leia tudo sobre: kassab

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG