O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) derrubou hoje a decisão liminar - que havia sido obtida pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) - que suspendia a validade de prova classificatória que, junto com outros critérios, irá determinar a atribuição de aulas para professores temporários da rede. Cerca de 212 mil pessoas são beneficiadas com a medida, pois participaram da prova e agora poderão atribuir aulas após classificação que junta prova, tempo de serviço e títulos.

A Secretaria divulga na próxima semana as notas dos 212 mil participantes da prova. Em seguida irá divulgar a classificação, até 30 de janeiro, com os três critérios. A lista de classificação será usada para a atribuição e para qualquer contratação de professores durante o ano.

É a primeira vez que a rede estadual de ensino realiza uma prova que conta pontos para atribuição. Até 2008, a escolha de aulas era baseada apenas em tempo de serviço e títulos. A classificação terá prazo de um ano.Os temporários atribuem aulas depois dos cerca de 130 mil professores efetivos. A atribuição para os temporários será de 5 a de 10 de fevereiro, após a atribuição dos professores efetivos (de 2 a 5 de fevereiro de janeiro).

A prova teve como base a proposta curricular do Estado, implantada pela Secretaria no ano passado. O objetivo, segundo a pasta, é verificar quais professores estão mais aptos nos conteúdos de suas disciplinas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.