Justiça suspende reajuste de passagens em Juiz de Fora

A Justiça determinou ontem a suspensão do último reajuste no valor das passagens de ônibus em Juiz de Fora (MG), autorizado pelo ex-prefeito Carlos Alberto Bejani, preso preventivamente e investigado pela Operação Pasárgada da Polícia Federal. Conforme decisão da juíza Maria Cecília Gollner Stephan, da Vara da Fazenda Pública, que acatou liminar da Promotoria de Defesa do Consumidor da cidade, a tarifa acabou reduzida em R$ 0,20, de R$ 1,75 para R$ 1,50.

Agência Estado |

Bejani aparece em vídeos apreendidos pela Polícia Federal (PF), negociando propina com o empresário Francisco Carapinha, o Bolão, proprietário de uma empresa do setor de transporte coletivo. As propinas, segundo investigações da PF, seriam pagas em troca de autorizações do então prefeito para reajustes no valor das passagens. Bolão também foi preso na Operação de Volta para Pasárgada, um desdobramento da ação inicial.

Da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, onde está preso, Bejani renunciou ao cargo de prefeito na segunda-feira. Durante seu governo, o bilhete de ônibus subiu de preço três vezes, aumentando de R$ 1,20 para R$ 1,75. Ontem, policiais federais vasculharam o escritório do ex-prefeito em busca de dinheiro. A PF recebeu denúncia de que havia montantes escondidos em paredes falsas de duas salas usadas por Bejani no quarto andar de um prédio localizado na avenida Rio Branco, região central da cidade. Os agentes usaram marretas durante as buscas, mas nada foi encontrado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG