Justiça suíça aprova libertação de Roman Polanski sob fiança

ZURIQUE ¿ O Tribunal Penal Federal suíço ordenou a libertação sob fiança do cineasta franço-suíço Roman Polanski, anunciou nesta quarta-feira (25) um porta-voz do ministério da Justiça, destacando que está examinando a possibilidade de recorrer da decisão.

iG São Paulo |

AP

Justiça ordena que Polanski, preso há
dois meses, deixe a penitenciária

O órgão aceitou a proposta de fiança no valor de 4,5 milhões de francos (3 milhões de euros) para que Polanski fosse libertado do presídio onde está, a 19 quilômetros de Zurique, em troca de que o cineasta permaneça em prisão domiciliar e sob monitoramento eletrônico em seu chalé na luxuosa estação de esqui de Gstaad, também na Suíça.

"O Tribunal penal federal ordenou a libertação de Polanski", declarou Folco Galli, porta-voz do ministério da Justiça. O cineasta, no entanto, deve permanecer preso até que o ministério decida se vai apelar ou não contra a medida.

"Decidiremos rapidamente se acatamos a libertação de Polanski ou se recorremos ao Tribunal Federal (de Lausanne, a máxima instância judicial da Suíça) contra esta decisão", acrescentou Galli. O prazo para a ação expira em 10 dias.

Apesar das declarações do porta-voz, a ministra da Justiça suíça, Eveline Widmer-Schlumpf, disse que "não há razão para recorrer contra a decisão do Tribunal Penal Federal", já que a fiança e outras medidas ordenadas pela corte anulam o risco de fuga.

Absolvição é o próximo passo

Premiado com o Oscar pelo filme "O Pianista", Roman Polanski, 76 anos, foi preso em 26 de setembro quando visitou a Suíça para receber um prêmio em um festival de cinema, em razão de um pedido de extradição dos Estados Unidos.

Polanski fugiu dos EUA em 1978 porque achava que o juiz de seu caso iria condená-lo a 50 anos de prisão por ter feito sexo com uma menina de 13 anos, depois de lhe dar drogas e bebidas. Ele se declarou culpado, mas não esperou o final do processo judicial.

George Kiejman, um dos advogados do diretor, se disse "muito feliz" com a sentença do tribunal suíço. "Isso me parece natural, e é um grande motivo de satisfação", acrescentou.

O cineasta, de 76 anos, já havia oferecido seu chalé de Gstaad como pagamento da fiança, mas a proposta fora recusada por não corresponder aos critérios legais.

Segundo fontes judiciais americanas, os advogados de Polanski vão pedir a absolvição de seu cliente em 10 de dezembro numa corte de apelações de Los Angeles (Califórnia, oeste dos EUA).

* com AFP, EFE e AP

Leia mais sobre: Roman Polanski

    Leia tudo sobre: roman polanski

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG