Justiça sabia de cadeia metálica, diz secretário do ES

O secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Espírito Santo, Rodney Rocha Miranda, informou hoje, em nota, que o Poder Judiciário foi informado sobre a instalação de uma cadeia metálica (espécie de contêiner) dentro da Delegacia de Roubo a Bancos, em Serra, na Grande Vitória. Ainda segundo o texto distribuído pela assessoria de imprensa da secretaria, representantes (do Poder Judiciário) visitaram o local e não fizeram qualquer observação negativa a respeito.

Agência Estado |

Miranda reuniu-se hoje com o corregedor Nacional de Justiça, ministro Gilson Dipp. O encontro já estava agendado antes mesmo da polêmica em torno da cela metálica. O secretário teria explicado "que o governo do Estado está trabalhando de maneira incessante na reestruturação de seu sistema penitenciário", informou o comunicado. "O Espírito Santo é hoje o Estado que, proporcionalmente, mais investe no sistema prisional no País - serão R$ 140 milhões do tesouro estadual, em média, até 2010", afirma o texto.

Essa não é a primeira experiência do Espírito Santo com cadeias metálicas. Em 2006, o governo instalou dez contêineres em Novo Horizonte e em Serra, para presos. Na ocasião, a justificativa foi de que o custo de instalação era cinco vezes menor em comparação com as penitenciárias convencionais (R$ 5 mil, por preso). A manutenção do detento correspondia à metade do valor gasto nos presídios de alvenaria - R$ 800. A assessoria de imprensa da secretaria informou que os contêineres continuam em funcionamento.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG