Justiça revoga prisão de único foragido do caso BNDES

A Justiça Federal revogou decreto de prisão preventiva contra o empresário Manuel Fernandes de Bastos Filho, o Maneco, apontado pela Operação Santa Tereza como um dos mentores de esquema de desvio de verbas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Dono da boate WE, Maneco estava foragido havia mais de 100 dias.

Agência Estado |

A WE, segundo a Polícia Federal, abrigava organização criminosa da qual seria beneficiário o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT-SP). O parlamentar nega ligação com o grupo.

A ordem em favor de Maneco foi dada pela juíza Silvia Rocha, titular da 2ª Vara Criminal Federal em São Paulo, que acolheu solicitação do criminalista Luís Fernando Pacheco, defensor do empresário. O advogado pediu contramandado de prisão para Maneco depois que a Justiça libertou os últimos três acusados de Santa Tereza que permaneciam detidos, entre eles o lobista João Pedro de Moura, ex-assessor de Paulinho. Pacheco argumentou a desnecessidade da prisão de seu cliente considerando que as buscas já haviam sido realizadas e que haviam sido ouvidas as testemunhas de acusação.

A procuradora da República Adriana Scordamaglia, acusadora da trama BNDES, manifestou-se contra o pedido da defesa de Maneco, único réu da Santa Tereza que escapou da ação da PF. A prisão dele havia sido determinada em 23 de abril pelo juiz Marcio Catapanni. Os federais chegaram a acionar a Interpol, com ramificação em quase 200 países. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG