Justiça revoga liminar e Adauto retoma cargo

A juíza Régia Ferreira de Lima revogou a liminar concedida anteontem pela Justiça que determinava o afastamento do prefeito reeleito de Uberaba, Anderson Adauto, do cargo. A decisão foi dada ontem a pedido da defesa de Adauto.

Agência Estado |

Ela entrou com um pedido de reconsideração da decisão tomada pelo juiz Lênin Ignachitti na ação civil pública movida pela promotoria de Defesa do Patrimônio Público, que questiona a legalidade do contrato de R$ 15 milhões assinado pelo município com a empresa Home Care Medical.

O contrato, assinado em 2006, está suspenso desde outubro de 2007 por ordem judicial. Antes que ocorresse, a Home Care recebeu R$ 5 milhões da prefeitura para fornecer medicamentos e a administrar as farmácias e o almoxarifado da Secretaria da Saúde de Uberaba. Além de Adauto, a decisão da juíza beneficia o secretário de Governo do município, João Franco Junior, e a funcionária Vera Lúcia Silveira Abdalla.

A assessoria de Adauto informou ontem a que a prefeitura havia buscado no contrato com a Home Care a solução de um antigo problema: a falta constante de remédios. A contratação da empresa teria sido legal. Em 2007, a prefeitura assinou um acordo na Justiça, que teria resolvido o problema.

Por meio de nota, a assessoria do prefeito informou ainda que ele determinou a apuração de denúncia de superfaturamento em 2007. "A decisão judicial de acatar integralmente o pedido de liminar proposto pelo Ministério Público já nos era esperada diante do histórico do juiz Lênin Ignachitti a respeito de minha pessoa e de nosso governo, principalmente, após a sua mulher ter perdido o cargo de confiança que ocupava na administração municipal". O Estado procurou o juiz no fórum no começo da noite, mas não conseguiu encontrá-lo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG