Justiça prorroga prisão temporária de Marcos Valério

SÃO PAULO - A Justiça Federal decidiu, nesta terça-feira, prorrogar a prisão temporária do publicitário Marcos Valério, um dos pivôs da CPI do mensalão. Ele é acusado de articular um esquema de corrupção e espionagem. Valério foi preso na última sexta-feira por ordem da juíza Paula Mantovani. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Redação |

A Polícia Federal acredita que o publicitário comandava toda a operação desmontada pela Operação Avalanche. A PF não deu detalhes do desenrolar das investigações, mas também decidiu pedir a renovação da prisão temporária de Rogério Tolentino, sócio de Valério, e dos advogados Ildeu Pereira e Eloá Veloso.

Todos estariam envolvidos em uma ação contra fiscais da Fazenda estadual que aplicaram uma multa de R$ 104 milhões na Cervejaria Petrópolis - cujo proprietário, Walter Faria, é amigo de Valério.

Na casa de Eloá, em Belo Horizonte, os policiais federais apreenderam R$ 700 mil em um fundo falso de um armário de roupas. 

Marcos Valério foi monitorado durante três meses. Seus telefonemas foram interceptados e seus movimentos seguidos e filmados. Ao pedir sua prisão, a PF destacou pelo menos seis grampos, na maioria diálogos dele com Ildeu. Os acusados negam a prática de crimes.

Leia mais sobre: Marcos Valério

    Leia tudo sobre: marcos valério

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG