Justiça proíbe imagem de Lula em programa de Patrícia no Ceará

FORTALEZA (Reuters) - A Justiça Eleitoral do Ceará proibiu que a candidata Patrícia Saboya (PDT) use as imagens do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do deputado federal Ciro Gomes (PSB) em sua propaganda eleitoral. A decisão, em caráter liminar, foi dada pelo juiz Darival Beserra Primo, da 82a zona eleitoral de Fortaleza, e atende recurso apresentado pela coligação da prefeita e candidata à reeleição, Luizianne Lins (PT).

Reuters |

A representação solicitava que a candidata Patrícia Saboya se abstivesse de veicular na sua propaganda eleitoral imagem de pessoas filiadas a partidos que não integram sua coligação, em especial do presidente Lula, do deputado Ciro Gomes e do governador do Ceará, Cid Gomes (PSB).

A assessoria jurídica da campanha de Patrícia Saboya já protocolou recurso à decisão, qualificada pelo advogado Carlos Monteiro como 'uma nova lei da mordaça'.

Segundo ele, a decisão liminar, além de impedir o uso da imagem proíbe invocar nome de pessoas ou opositores que não pertençam à coligação. 'Como poderemos criticar a atual gestão municipal sem poder citar o nome do gestor já que ele é candidato?', questionou o advogado.

Para a assessoria de Patrícia houve uma interpretação equivocada sobre o uso da foto de Lula e Ciro Gomes no programa da candidata, uma vez que elas foram associadas ao currículo e à trajetória política da candidata e não para pedir voto.

Patrícia é ex-mulher de Ciro e foi vice-líder do governo federal no Senado.

No programa eleitoral veiculado na tarde desta segunda-feira, na foto apresentada de Patrícia e Lula, a imagem do presidente foi levemente distorcida.

Isabel Mota, assessora jurídica da coligação de Luizianne Lins, afirmou que o recurso utilizado pela concorrente representa um descumprimento da decisão do juiz. Ela adiantou que o fato será comunicado à Justiça Eleitoral.

VOX POPULI

A quarta pesquisa do Instituto Vox Populi/TV Jangadeiro, divulgada nesta segunda-feira, confirmou a tendência de crescimento das intenções de voto em Luizianne, apontado no levantamento do Datafolha, também divulgado nesta segunda.

Luizianne subiu de 26 para 34 por cento das intenções de voto, enquanto o candidato do DEM, Moroni Torgan, caiu de 34 para 27 por cento. Patrícia Saboya variou de 19 para 20 por cento dentro da margem de erro de 3,7 pontos percentuais.

A pesquisa ouviu 700 pessoas nos dias 21 e 22 deste mês.

Quanto aos índices de rejeição, Luizianne e Moroni estão praticamente empatados, a petista com 28 por cento e Moroni com 27 por cento. Patrícia segue com a menor rejeição, de 7 por cento.

(Por Clara Guimarães; Edição de Renato Andrade)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG