Justiça ouve testemunhas de processo contra pagodeiro em Guarulhos

SÃO PAULO ¿ A Justiça de São Paulo ouve, a partir das 13h desta sexta-feira, as testemunhas de acusação e defesa do caso do pagodeiro Evandro Correia, que é acusado de ser o responsável pela morte da mulher, Andréia Cristina Bezerra Nóbrega, de 31 anos, e pela queda do filho do casal do 3º andar do prédio onde viviam, em Guarulhos.

Redação |

Os depoimentos acontecem no Fórum de Guarulhos, de acordo com o Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo. Serão seis testemunhas, sendo três de acusação, uma comum (de defesa ou acusação) e duas sigilosas (o TJ não pode revelar o caráter da testemunha). Como Evandro está foragido desde a época do crime, em novembro de 2008, ele não será ouvido.

A previsão do TJ é de que a sentença não seja pronunciada nesta sexta-feira, já que outras 11 pessoas ainda devem ser ouvidas através de carta precatória.

A operadora de caixa Andréia e o filho caíram do 3º andar do prédio onde viviam, em Guarulhos, Grande São Paulo. Andréia morreu na queda e Lucas, que bateu no parapeito do edifício, fraturou o maxilar.

Segundo informações do 2º D.P., uma testemunha disse ter visto Correia sair do prédio logo após a queda e entrar num Taurus, que teve a placa identificada. Imagens do circuito de TV de uma agência dos Correios mostram um homem vestido de preto sair pela porta sem prestar atendimento a Andréia, caída na calçada. O caso foi registrado como homicídio qualificado e tentativa de homicídio.

De acordo com a família de Andréia, os dois se conheceram há 14 anos e freqüentavam a mesma igreja evangélica. Correia participou, há alguns anos, do quadro de calouros do "programa Raul Gil" e tem um CD gravado.

Leia mais sobre: crime - queda do 3º andar

    Leia tudo sobre: crimequeda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG