A Justiça de São Paulo negou ontem o pedido de prisão preventiva contra o segurança Eduardo Soares Pompeu, de 47 anos, que matou o empresário Dácio Múcio de Souza Júnior, de 29 anos, no último dia 27, em frente à padaria Dona Deôla, em Higienópolis, bairro nobre de São Paulo. Além disso, a prisão temporária do réu foi revogada.

Em sua decisão, o juiz-presidente do 1º Tribunal do Júri, Alberto Anderson Filho, afirmou que o réu é primário, possui emprego fixo e residência. "Quanto ao pedido de prisão preventiva, por ora não se vislumbra a presença dos requisitos legais para que ela pudesse ser decretada. Com efeito, o simples fato de o ocorrido ter sido amplamente divulgado pelos meios de comunicação não demonstra a existência de clamor público".

O empresário foi morto por golpe de faca. Segundo a polícia, Dácio Múcio de Souza Júnior e o segurança da padaria se desentenderam. Após o crime, Eduardo fugiu. Três dias depois, ele se apresentou no 77º Distrito Policial, no bairro Santa Cecília.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.