Justiça nega pedido de Polanski para sentenciá-lo à revelia

Por Steve Gorman LOS ANGELES (Reuters) - O premiado cineasta Roman Polanski perdeu na quinta-feira um recurso no qual pedia para não ser extraditado aos Estados Unidos para receber a sentença no processo que em foi condenado por fazer sexo com uma menor em 1977.

Reuters |

Reafirmando decisão de janeiro de um juiz de Los Angeles, um tribunal de recursos da Califórnia decidiu que o cineasta franco-polonês, de 76 anos, deve voltar ao Estado para ser sentenciado, encerrando assim uma saga judicial de 33 anos.

O diretor de obras como "Chinatown" e "O Bebê de Rosemary" fugiu dos EUA para a França em 1978, depois de ser condenado, e desde setembro do ano passado está sob prisão domiciliar na Suíça, aguardando uma decisão local sobre sua extradição para os EUA.

A comissão de recurso entendeu que Polanski "não demonstrou" que o juiz Peter Espinoza havia agido sem o devido cuidado ao lhe negar o pedido para permanecer no exterior. A defesa de Polanski não quis comentar a decisão nem a possibilidade de novos recursos.

Logo antes dessa decisão, a Justiça da Califórnia havia rejeitado um pedido para arquivar o caso, apresentado por Samantha Geimer, que fez sexo com Polanski aos 13 anos, após uma sessão de fotos na casa do ator Jack Nicholson, regada a drogas e champanhe.

Hoje aos 46 anos, mãe de três filhos e vivendo discretamente no Havaí, ela há anos tenta encerrar esse processo, alegando que voltou a ser vitimizada devido aos esforços dos promotores para levar Polanski à Justiça. Ela considera que a proibição de voltar aos EUA já foi uma punição suficiente para o cineasta, e que ele não é um perigo para a sociedade.

Polanski admitiu ter feito sexo com ela e foi condenado, mas fugiu antes de receber a sentença, temendo que o juiz descumprisse o acordo judicial que limitaria sua pena aos 42 dias que ele já havia passado na prisão. Desde então, ele nunca mais voltou ao país, nem para receber o Oscar de melhor direção em 2003, por "O Pianista."

Neste ano, já preso na Suíça, ele recebeu o prêmio de melhor direção do Festival de Berlim, por "The Ghost Writer."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG