SÃO PAULO - Os três rapazes condenados no último dia 21 pela morte de Vanessa Freitas, em 2006, Renato Correia de Brito, Wagner Conceição da Silva e Willian César de Brito Silva vão continuar presos, após o habeas-corpus pedido pela sua defesa ter sido negado pelo ministro Napoleão Nunes Maia, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Acordo Ortográfico

A defesa dos condenados disse que, mesmo tendo do direito de apelar da sentença em liberdade, o pedido de liminar foi recusado. Segundo o ministro, o pedido de habeas-corpus seria cabível em situações de ilegalidade ou abuso de poder e o caso dos rapazes de Guarulhos não se enquadra nessas opções.

Acusados de violentar e matar Vanessa de Freitas, de 22 anos, em agosto de 2006, os três foram soltos em setembro, depois da confissão de Leandro Basílio Rodrigues, apelidado pela polícia de Maníaco de Guarulhos.

Dias depois, Rodrigues voltou atrás e disse que havia confessado sob tortura. Os réus também alegaram terem sido agredidos por policiais para admitir o crime. A decisão foi anunciada após três dias de julgamento.

Wagner e Renato foram condenados por homicídio qualificado e atentado violento ao pudor e devem cumprir 24 anos e 4 meses de prisão. Já o terceiro suspeito, Willian, foi condenado por atentado violento ao pudor e deverá ficar 9 anos e 4 meses na cadeia. Como forma de reparação, o trio também foi condenado a pagar 1 salário mínimo aos dois filhos de Vanessa, até que eles completem 25 anos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.