Justiça marca reunião de conciliação entre Correios e grevistas

BRASÍLIA - O presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), Carlos Henrique Custódio, protocolou, no Tribunal Superior do Trabalho (TST), nessa quinta-feira, um pedido de declaração de abusividade do movimento de greve realizado pelos funcionários da empresa. Diante do fato, o TST marcou uma audiência de conciliação entre os envolvidos para a próxima segunda-feira, às 9h.

Redação |


O TST informou que esta etapa é a "tentativa de conciliação, quando as partes sentam-se à mesa de negociação junto com um ministro instrutor e tentam chegar a um acordo". Caso não não se obtenha o consenso, o processo será encaminhado a um relator sorteado.

A ECT justifica sua entrada na justiça afirmando que as reivindicações já foram atendidas e não existe mais razão para a greve. Segundo Custódio, a greve é um desrespeito à população. Ele também pediu ao TST que pelo menos 70% da categoria volte a trabalhar.

O Sindicato dos trabalhadores dos correios informou, na quinta, que já estava aguardando a entrada no TST. Segundo Amanda Gomes, do sindicato, estamos tranqüilos em relação à isso, temos um termo assinado pelo ministro das Comunicações, que garante nossos benefícios.

Os carteiros em greve reivindicam que o salário passe dos atuais R$ 603 mensais para R$ 1.119,00 por mês, enquanto a ECT diz que desde o mês passado, com o pagamento do abono adicional, o salário deles subiu para R$ 863,00 por mês. 

Leia mais sobre: greve dos correios

    Leia tudo sobre: greve

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG