Justiça mantém presos suspeitos de matar turista alemã

Suspeitos de assassinato da turista alemã naturalizada italiana Jennifer Marion Nadja Kloker, seu marido e seu sogro - respectivamente Pablo Tonelli e Ferdinando Tonelli - continuam presos em celas separadas no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no Recife. O desembargador do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJ-PE), Antonio Melo e Lima, indeferiu hoje a liminar no pedido de habeas-corpus impetrado ontem pelo advogado Celio Avelino.

Agência Estado |

O julgamento do habeas pode demorar 20 dias. Eles estão presos desde terça-feira por determinação da juíza Marinês Marques Viana, de São Lourenço da Mata, onde ocorreu o crime, a pedido da Polícia Civil. O corpo de Jennifer, de 22 anos, foi encontrado na madrugada da quarta-feira de cinzas com quatro balas no tórax, às margens da BR-408. Na versão da família, a causa da morte foi latrocínio - roubo seguido de homicídio. A polícia trabalha com a hipótese de crime passional.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG