Justiça leiloa em julho restante dos bens de traficante Juan Carlos Ramírez Abadia

SÃO PAULO - Nos dias 3 e 17 de julho, serão leiloados os bens do traficante colombiano Juan Carlos Ramírez Abadia que não foram arrematados no pregão realizado em abril deste ano. A decisão sobre as novas vendas foi tomada pelo juiz federal Fausto Martin de Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal, responsável pelo processo que condenou Abadía a 30 anos de prisão.

Redação |

Entre os bens que vão a leilão estão uma lancha avaliada em R$ 1.700 milhões, um veículo Ford Rural, 73 relógios de marcas importadas, oito canetas, além de óculos escuros e relógio de mesa.

Os produtos serão arrematados por quem der o maior lance a partir de 35% do valor da avaliação de cada bem. O pregão será realizado também na internet, onde os lances poderão ser oferecidos em igualdade de condições com o pregão físico.

Os interessados nos bens do megatraficante devem se cadastrar no site de leilões do Ministério da Justiça , onde estão disponíveis as condições de venda, pagamento e regras dos leilões.

Histórico

No dia 8 de abril, foi realizado um bazar beneficente para a venda dos bens pessoais de Abadía apreendidos na chamada "Operação Farrapos". Entre os itens disponíveis estavam roupas, móveis, aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos e utensílios para casa em geral.

No dia seguinte, ocorreu o leilão dos bens considerados de maior valor. Os valores obtidos serão depositados em conta judicial. Parte do dinheiro ficará aplicada até que o processo não tenha mais possibilidade de recursos. O restante será divido entre entidades de assistência social definidas pelo juízo.

Leia mais sobre: Abadía

    Leia tudo sobre: abadia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG