Justiça investiga possível negligência em morte de menina na PB

Falta de anestesia para realização de uma cirurgia de emergência pode ter vitimado criança

iG São Paulo |

O Ministério Público da Paraíba solicitou ao coordenador da Central de Acompanhamento de Inquéritos Policiais de Campina Grande, promotor Marcus Leite, apuração para saber se houve negligência no atendimento à menina Mayana Beatriz Silva, de um ano de idade, no Hospital Regional de Emergência, em Campina Grande, que morreu devido à falta de anestesista para realização de uma cirurgia de emergência.

Segundo o procurador-geral de Justiça, Oswaldo Trigueiro do Valle Filho, caso seja comprovada a omissão, o anestesista que deveria estar de plantão será responsabilizado criminalmente.

A criança, que havia aspirado um objeto, deu entrada, na última segunda-feira, em estado grave no Hospital Regional. Em seguida ela foi encaminhada pelo Hospital da Clipsi para a realização de uma bronco-fibroscopia, mas o procedimento cirúrgico que não foi realizado devido à ausência de anestesista no Regional.

"O secretário da saúde nos relatou as dificuldades enfrentadas no pagamento às cooperativas de anestesistas, ortopedistas e traumatologistas. Ele nos contou sobre as negociações com as cooperativa para aumento no valor do plantão de 12 horas que era de R$ 748,10. as cooperativas fizeram uma proposta de R$ 1 mil, que foi aceita, depois aumentaram para R$ 1200 reais e para R$ 1500, sendo aceita pela urgência da situação”, afirmou o procurador-geral.

“Solicitei ao secretário que encaminhe documentos sobre a liberação dos pagamentos dos créditos aos cooperados, a relação nominal dos que receberam, a escala de plantão do Hospital Regional. Se ficar comprovado que essa pessoa se omitiu irá responder criminalmente. Estou encaminhando expediente ao coordenador da Caimp para apurar os fatos bem como os procedimentos instaurados nas Promotorias da Saúde e da Infância para que todas as medidas sejam tomadas para que fatos dessa natureza não se repitam”, concluiu Oswaldo Filho.

    Leia tudo sobre: negligênciamorteanestesiaparaíba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG