Justiça Federal leiloa bens do traficante Juan Carlos Abadía

SÃO PAULO ¿ Relógios, jóias, canetas de luxo e uma lancha com um lance inicial de R$ 595 mil que pertenciam ao megatraficante colombiano Juan Carlos Ramirez Abadía, preso no Brasil no ano passado, serão leiloados nesta quarta-feira pela Justiça Federal. O leilão ocorre a partir das 14h. Os itens poderão ser adquiridos com até 40% de desconto sobre o valor pelo qual estão avaliados.

Redação |

Os lances podem ser feitos virtualmente, através do portal Leilão Eletrônico Judicial (LEJ), operado pelo Instituto Nacional de Qualidade Judiciária (INQJ). No site os compradores encontram fotos e informações adicionais sobre os produtos. Os interessados também podem dar lances presencialmente, no auditório do LEJ, na alameda Joaquim Eugênio de Lima, nº 739, 8º andar, no Jardim Paulistano, em São Paulo.

Divulgação
de
Lancha do megatraficante em leilão
De acordo com a Justiça Federal, a grande atração do leilão é uma lancha Intermarine Azimut modelo M520, de 2005, que está em custódia da Polícia Federal no Yacht Clube de Santos/SP e tem lance inicial de R$ 595 mil. Originalmente ela estava avaliada em R$ 1.7 milhão. Também estarão disponíveis 73 relógios de luxo de marcas como Cartier, Rolex, Bvlgari, Chopard, Mont Blanc, TAG Heuer, entre outras, com preços que chegam a quase R$ 110 mil.

De acordo com a organização do leilão, os lances virtuais competirão em tempo real, em igualdade de condições, com os feitos presencialmente. O leilão judicial através da internet permite que a Justiça possa vender bens para um número maior de pessoas interessadas, inclusive em outros estados ou cidades.

Abadía foi detido durante a Operação Farrapos da Polícia Federal e condenado por tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e outros crimes. 

Histórico

No dia 8 de abril, foi realizado um bazar beneficente para a venda dos bens pessoais de Abadía apreendidos na chamada "Operação Farrapos". Entre os itens disponíveis estavam roupas, móveis, aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos e utensílios para casa em geral.

No dia seguinte, ocorreu o leilão dos bens considerados de maior valor. Os valores obtidos serão depositados em conta judicial. Parte do dinheiro ficará aplicada até que o processo não tenha mais possibilidade de recursos. O restante será divido entre entidades de assistência social definidas pelo juízo.

Leia mais sobre: Abadía

    Leia tudo sobre: abadia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG